Yoga na Cadeira é Boa Opção para Idosos com Demência

Atividades físicas na terceira idade são fundamentais para manutenção de uma boa saúde. E isso vale também para os idosos com demências, como a doença de Alzheimer. Porém, nesses casos especiais, a segurança é ainda mais importante. Pensando nisso, uma pesquisa recente mostrou bons resultados com a yoga na cadeira.

Nesse tipo de atividade, a “chair yoga”, como é chamada no exterior, utiliza-se posições da yoga adaptadas para serem feitas com a ajuda de uma cadeira. Dessa forma, o exercício pode ser feito com mais segurança por pessoas com dificuldades de locomoção ou movimentos.

O estudo em questão, publicado no American Journal of Alzheimer’s Disease & Other Dementias, avaliou idosos com demência que praticaram 3 tipos diferentes de terapia não medicamentosa: a yoga na cadeira, exercícios genéricos também usando uma cadeira, e musicoterapia. Os grupos praticaram as atividades por 45 minutos duas vezes por semana, durante 1 ano. Importante: eram idosos com demência moderada a severa!

Yoga na cadeira: o que a pesquisa mostrou

Os resultados foram bem interessantes. O mais geral e também muito importante é que os idosos, mesmo nesses estágios de demência, fizeram os exercícios sem problemas e com segurança. 97% deles se engajaram nas atividades, participando ativamente. Além disso:

  • Os grupos que praticaram tanto yoga quanto exercícios genéricos usando a cadeira tiveram melhora nos quadros de depressão.
  • O grupo da chair yoga demonstrou ter adquirido maior equilíbrio, flexibilidade e mobilidade.
  • A yoga na cadeira proporcionou melhoras em sintomas das demências, como agitação, ansiedade e agressividade.

Segundo o Dr. Juyoung Park, principal autor do estudo:

“Acreditamos que as poses físicas que usamos nos grupos de yoga e exercícios com cadeira foram um fator importante para melhorar a qualidade de vida dos participantes do nosso estudo. É fascinante que, embora alguns participantes tenham demonstrado níveis leves de agitação ou perambulação na sala de intervenção antes da sessão de yoga, eles ficaram calmos e atentos quando o intervencionista começou a demonstrar poses de ioga. Embora não entendam as instruções verbais do devido ao comprometimento cognitivo associado à demência avançada, eles seguiram as poses do instrutor”.

Ainda de acordo com o pesquisador, a qualidade de vida de pessoas com demência não é medida simplesmente por seus comportamentos. Além dos benefícios físicos, a yoga na cadeira demonstrou que idosos nessa situação podem manter ainda uma conexão entre mente e corpo, fator primordial para essa melhoria dessa qualidade de vida. De fato, é algo a se considerar pelos familiares de quem enfrenta essa situação. Pense nisso!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link