Será o Vinho um Aliado Contra o COVID-19?

Nesta época de pandemia, à medida que o distanciamento social se estabelece, a solidão e a depressão também podem aumentar, havendo mais consumo de álcool, especialmente o vinho.

Certamente uma taça de vinho tinto pode ser um aliado nestes momentos, mas o abuso desse ou de outras bebidas, como as destiladas, pode suprimir as respostas imunológicas e deixar você mais vulnerável a doenças respiratórias.

Os alimentos ricos em polifenóis são bons para a saúde em qualquer circunstância, mas agora pesquisas sérias estão analisando o papel dos polifenóis no combate ao coronavírus. Veja agora os benefícios que o vinho pode lhe trazer para a parte imunológica.

Vinho: ação imunológica, bactericida e antiviral

Por incrível que pareça, há um elemento que age nas uvas, aumentando a sua sobrevivência e resistência às doenças durante os tempos de estresse, como excesso de luz ultravioleta, infecções e mudanças climáticas.

Eu estou falando do Resveratol.

Em 2020, o National Institutes of Health PubMed listou 621 artigos mostrando seus benefícios.

É uma verdadeira usina de benefícios de saúde. Está bem estabelecido pela ciência que o resveratrol tem propriedades antioxidantes, anti-inflamatória, cardioprotetora, antienvelhecimento e anticancerígena.

Especificamente no caso, promove:

  • melhora do sistema imunológico ativando NKs (natural killer) e suprimindo a expressão de genes inflamatórios.
  • inibição de infecção e supressão da replicação do RNA de coronavírus (MERS-COV), além de aumentar a resistência da célula.
  • antiagregação plaquetária, reduzindo risco de coágulo e trombose, presente em estágios avançados de Covid-19.
  • reparação do dano oxidativo no DNA das células.   
  • inibição da replicação do vírus A da influenza em animais, sugerindo que pode ser valioso como uma medicação anti-influenza.
  • no intestino, os polifenóis também podem ajudar a apoiar bactérias intestinais benéficas (seu “microbioma”), inibindo espécies invasoras ou patogênicas. Isso é importante porque a saúde intestinal, ou a falta dela, também pode aumentar a vulnerabilidade a vírus como o coronavírus.  Além disso, os estudos são claros mostrando que essa ação reduz o risco de infecção do trato respiratório superior em crianças e infecções respiratórias agudas em adultos.    

E o resveratrol no vinho, por estar em meio alcoólico, tem a maior absorção possível, ao contrário dos outros alimentos e mesmo de suplementos nutricionais.

– Antocianidinas

É uma classe dos flavanoides que agem protegendo o seu corpo contra degeneração celular. Trata-se de um pigmento roxo encontrado na casca da uva, que influencia a sua imunidade e combate os vírus da seguinte forma:

  • ação anti-inflamatória, antioxidante, antimicrobiana e antiviral.
  • inibe a formação de coágulos sanguíneos.
  • aumenta a produção de óxido nítrico.
  • gera um subproduto, o ácido ferrúlico, que tem grande impacto na destruição viral.
  • previne e controla resistência à insulina e diabetes, fatores que predispõe o Covid-19.

– Rutina

É um bioflavanoide potencializador da ação da vitamina C, evitando a sua oxidação e prolongando o seu efeito.

Aumenta também a resistência a infecções e resfriados.

A maior fonte de rutina são as uvas escuras e, portanto, os vinhos tintos.

– Quercitina

É um flavanoide poderoso, antioxidante, anti-inflamatório com altíssima capacidade antiviral e estimulante imunológico.

Eficiente contra gripe comum, SARS e Covid-19.

Sua ação antiviral ocorre de 3 maneiras:

  • inibe a capacidade do vírus de infectar a célula
  • reduz a replicação de células que já estão infectadas
  • reduz a resistência de células infectadas aos tratamentos e medicações antivirais

– Hesperidina e Diosmina

Flavanoides abundantes no caroço e casca da uva, se mostraram efetivas contra uma proteína alvo, a M (pro), responsável por ajudar o coronavírus a se reproduzir.  

Agora a boa notícia.

Consumir, no caso dos homens, 02 taças de vinho por dia, e no caso das mulheres, 01 taça, não compromete a sua saúde. Aliás, só melhora, inclusive a sua resposta imunológica.

Porém, o aumento do uso de álcool por dias ou semanas pode suprimir os seus benefícios. Lembre-se que tudo depende da dose! Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • Preprints March 21, 2020
  • J Med Food 2018 Aug;21(8):777-784
  • Front. Nutr., 21 September 2018
  • The Conversation March 19, 2020
  • Front Immunol. 2018; 9: 1830
  • Eur J Clin Nutr. 2015 Mar;69(3):373-9
  • Cochrane Review February 3, 2015

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

close-link
close-link