Veja o que essa Fruta Vermelha, o Tomate, faz por Você

Muito se fala do tomate pelos seus benefícios na prevenção do câncer de próstata. Mas é muito mais que isso. Ele também tem efeitos impressionantes para o coração e para toda a saúde.

Não menospreze o tomate, pois ele é um poderoso complexo antioxidante riquíssimo em licopeno, alfa tocoferol (vitamina E), alfa e beta-caroteno.

Outros nutrientes não menos importantes incluem flavonoides, como rutina, kaempferol e quercetina, luteína (outro carotenoide), vitamina C, folato e potássio.A cor vermelho-escura do tomate ocorre pela alta concentração do licopeno, e seu efeito terapêutico pode ser potencializado ainda mais se cozinhá-lo.

Tomate e saúde cardíaca

Pela sua riqueza em licopeno, promove:

  • redução de doenças cardiovasculares;
  • aumenta a proteção contra aterosclerose;
  • melhora a pressão arterial;
  • reduz o risco de derrame isquêmico em até 59%.   

Tomate e benefícios gerais de saúde

  • reduz a incidência de diabetes, câncer e Alzheimer;
  • tem associação inversa com dano oxidativo ao DNA;
  • evita geração de radicais livres – que causam envelhecimento e risco maior de doenças – às gorduras, proteínas e DNA;
  • facilita a comunicação intercelular, nas “junções de hiato”, regulando o ciclo reprodutivo celular, essencial para impedir o desenvolvimento de câncer;
  • estimula o sistema imunológico na destruição de micro-organismos invasores e células cancerígenas precoces;
  • regula as vias de comunicação endócrina (glandular);
  • atua como antioxidante para diminuir a reabsorção óssea em mulheres na pós-menopausa e, portanto, pode ser benéfico na redução do risco de osteoporose.

Como conseguir os benefícios do tomate:

Consuma preferencialmente os tomates orgânicos, que apresentam mais benefícios em termos fenólicos, ou seja, são mais ricos em licopeno.    

Use na forma de pasta de tomate, molho de tomate, ketchup, sopa de tomate e suco de tomate, além da forma crua.

Para ter o máximo benefícios, cozinhe os tomates, o que aumenta os níveis de licopeno absorvível em cerca de 4 vezes, quando comparadocom o tomate cru.  

Independente da forma, cru ou cozido, inclua uma gordura saudável, como o azeite, pois o licopeno é um nutriente lipossolúvel em gordura.   

Segundo o Environmental Working Group, os tomates estão na lista das 10 principais frutas e vegetais que contêm os mais altos níveis de resíduos de pesticidas; portanto, se você não puder comprar orgânicos ou cultivar seus próprios, lave-os bem antes de consumir. 

A grande vantagem sobre o licopeno nos tomates é que você pode obtê-lo em boas quantidades através dos alimentos, sem necessidade de suplementação.

De acordo com Edward Giovannucci, professor de nutrição e epidemiologia na Harvard School of Public Health:

    “Os suplementos podem fornecer uma forma purificada de licopeno, mas você não tem certeza de que está recebendo o que recebe dos alimentos. Você pode estar recebendo a forma errada de licopeno em um suplemento. Também existem muitos compostos nos alimentos que não são licopeno, mas são semelhantes, e algumas dessas moléculas podem fazer parte do que torna o licopeno tão benéfico “.

Então, não deixe de consumir essa maravilha da natureza. Tomates são ótimos, versáteis e deliciosos. Aproveite de todas as formas possíveis!

Referências bibliográficas:

  • PLOS One. May 21, 2013
  • Journal of Biological Regulators & Homeostatic Agents. July 21, 2011
  • Neurology. Oct 9,2012;79(15):1540-7.
  • University Health News. March 7, 2018
  • WHO The top 10 causes of death. 2019
  • Nature, Atherosclerosis. Feb 22, 2010
  • Cancer Epidemiology Biomarkers & Prevention. August 2007;16(7):1428-36
  • British Journal of Nutrition. 2004, 91;53–61
  • Toxicol in Vitro. March 2008;22(2):510-4
  • British Journal of Nutrition. Jan 2005; Vol 93, Issue 1, pag 93-99
  • The American Journal of Clinical Nutrition. April 1, 1999 Vol 69, Issue 4, pag 712–718
  • The American Journal of Clinical Nutrition. Jan 1, 2006; Vol 83, Issue 1, pag 163–169
  • The Journal of Nutrition, Health and Aging. Feb 2011; 15(2):133-8
  • Harvard Health. October 10, 2012
  • PLOS One. Feb 20, 2013
  • Nutrients. March 15, 2016 8(3), 170
  • Dirty Dozen. 2019
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link