Tocar Bateria Altera o seu Cérebro!

A bateria, em certas ocasiões, pode ser um instrumento controverso. Enquanto é uma parte fundamental no acompanhamento de alguns estilos musicais, pode também ser um problema para aqueles que convivem com um baterista ensaiando em locais sem o isolamento sonoro necessário…

Mas a questão que comento hoje está mais relacionada à sua saúde. As pesquisas têm demonstrado que aprender a tocar instrumentos musicais é uma boa opção para o cérebro. Pelo visto, essa afirmação vale para os mais variados tipos. Inclusive a bateria!

Como a bateria modifica o seu cérebro

Embora muitas pesquisas já tenham analisado a relação entre outros instrumentos e o cérebro, é a primeira vez que é feito um estudo exclusivo com bateristas. O interesse, nesse caso, está ligado à necessidade de alta coordenação motora para desempenhar a atividade.

Pesquisadores da Universidade Ruhr-Bochum, na Alemanha, avaliaram a estrutura e função dos cérebros de 20 bateristas profissionais, que tocam o instrumento pelo menos 10 horas por semana há 17 anos em média. E o que eles descobriram foi muito interessante…

Nesses músicos, as fibras que ligam os dois hemisférios do cérebro eram mais grossas. Na prática, isso significa que eles conseguem trocar informações entre as duas partes de forma mais rápida. E quanto mais grossas as fibras, melhor a performance na bateria.

Outro dado concluiu que esses cérebros tinham menos atividade em tarefas motoras. Embora isso possa soar estranho à primeira vista, tendo em vista a exigência de coordenação para se tocar o instrumento, na verdade faz todo sentido. É uma indicação de que as áreas do cérebro ligadas a essa função são mais organizadas e consequentemente mais eficientes.

O que isso significa para nós?

Bom, agora você deve estar se perguntando… “Eu não toco bateria, o que tenho a ver com isso”? Na verdade, esse estudo reforça algo fundamental que já tenho falado por aqui…

Nosso cérebro não é estático, imóvel, como se pensava anteriormente. A ciência mostra que atividades podem treiná-lo e deixá-lo mais saudável, inclusive prevenindo doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson.

Seja tocando instrumentos, estudando idiomas e praticando atividades que exijam raciocínio, você pode melhorar sua saúde cognitiva. Essas mudanças são reais e certamente vão lhe garantir uma Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link