Taninos: Característica de Todo Bom Vinho Tinto

Sabe quando você toma um gole de vinho tinto seco e sente aquela sensação adstringente na boca? Sim, eu sei que ela pode ser bastante agradável ao seu paladar. Mas isso indica muito mais do que podemos imaginar…

Essa impressão é causada pelos taninos naturais da uva.

Eles são também chamados de ácido tânico, um composto de polifenóis presente em algumas bebidas como vinho, café, chá, cerveja e alimentos como chocolate escuro, cranberries, uva, romã, açaí, amêndoas, nozes e alguns feijões.

Esses polifenóis agem ligando-se às proteínas da nossa saliva, separando-as, o que causa a sensação agradável e adstringente na sua boca quando bebe ou come um alimento rico em taninos.

Por outro lado, nas plantas ocorre o inverso. O ácido tânico é destinado a torná-las indesejáveis ​​a possíveis predadores, garantindo assim a perpetuação da espécie vegetal.

No mundo da vinificação, os taninos são usados ​​para adicionar complexidade ao sabor e textura, tanto aos bons vinhos tintos quanto em alguns brancos. Eles são carregados com promotores de saúde, gerando os seguintes benefícios:

1. Antioxidantes

Segundo estudo com animais e publicado no European Journal of Nutrition, os taninos agem reduzindo o estresse oxidativo e os danos dos radicais livres em nossas células. De fato, os produtores de vinho adoram que os vinhos tânicos sejam protegidos por seus antioxidantes naturais.

2. Anti-inflamatório

Como age reduzindo o estresse oxidativo, consequentemente diminui a inflamação e melhora os sintomas de inflamação.

3. Anticarcinogênico

Pelas suas propriedades antioxidante e anti-inflamatória, alguns estudos sugerem que os taninos têm potencial protetor contra o câncer.

4. Efeitos antimicrobianos e antivirais

De acordo com pesquisa realizada na Universidade de Memphis, o crescimento de muitos fungos, leveduras, bactérias e vírus é inibido pelo ácido tânico.

Além disso, os taninos das frutas agem como um mecanismo de defesa natural contra infecções microbianas.

5. Prevenção e controle de diabetes tipo 2

Apresentam a capacidade de ajudar a equilibrar os níveis de açúcar no sangue, o que ficou bem documentado em um estudo publicado na Current Medicinal Chemistry, em 2018. Na pesquisa, o ácido tânico se mostrou efetivo na prevenção e controle do diabetes tipo 2.

6. Efeito cardiovascular

Um estudo em animais, realizado em 2015, observou que o ácido tânico apresentou efeitos anti-hipertensivos e vasodilatadores, reduzindo valores pressóricos em ratos hipertensos. Em humanos ainda são necessários mais estudos para determinar todo o potencial da substância no sistema cardiovascular.

7. Melhora a coagulação sanguínea

Por regular a coagulação do sangue, ajuda a acelerar a cicatrização de feridas, de acordo com estudo publicado na Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, em 2014.

Efeitos colaterais

Algumas pessoas podem ser sensíveis aos taninos, desencadeando dores de cabeça ou enxaquecas. Se houver sinais de alergia ou efeitos indesejáveis, o melhor é evitá-los. Mas se este não é o seu caso, abra uma garrafa e aproveite – lembrando-se sempre, é claro, de evitar os excessos. Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • Basic Life Sci. 1992;59:539-69.
  • Yakugaku Zasshi. 1995 Feb;115(2):81-100.
  • Crit Rev Food Sci Nutr. 1998 Aug;38(6):421-64.
  • Eur J Nutr. 1999 Jun;38(3):126-32.
  • Eur J Nutr. 1999 Aug;38(4):190-5.
  • Curr Med Chem. 2019;26(25):4852-4884
  • Eur J Nutr. 2000 Oct;39(5):207-12.
  • Evid Based Complement Alternat Med. 2014; 2014: 857651.
  • Cytotechnology. 2015 Jan;67(1):97-105
  • Contemp Clin Dent. 2015 Oct-Dec;6(4):505-9
  • Phytomedicine. 2019 Mar 15;56:229-245
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

close-link
close-link