Stevia: Como Evitar o Gosto Amargo

Sempre que se evita consumir açúcar, seja para programas de emagrecimento, diabetes ou outras condições de saúde, a primeira ideia que se vem à cabeça é usar um adoçante artificial.

Mas precisa ficar bem claro que a stevia não se encaixa nessa condição. Na verdade, ela é uma alternativa saudável e natural ao açúcar.

Atualmente há uma grande tendência pelas dietas keto e jejum intermitente, aonde se tem baixo consumo de carboidrato.

A stevia é um grande aliado para se evitar a falta de doces que ocorre nos primeiros dias desses programas.

Mas aí ficam as dúvidas…

Será mesmo que usá-la nessas situações, aonde você adiciona um toque de doçura a uma bebida quente ou gelada, pode estar comprometendo o seu objetivo?

E como desfrutar do seu benefício sem ter que conviver com aquele retrogosto amargo?

Vamos por partes…

Entenda o que é a Stevia

Realmente não é um adoçante artificial, masuma alternativa natural de origem vegetal ao açúcar, cerca de 200-300 vezes mais doce.

É uma planta herbácea, com cerca de 240 espécies, frequente especialmente na América Sul e Central.

Na forma natural apresenta uma gama completa de glicosídeos, mas basicamente tem dois compostos responsáveis pelo sabor doce, que são   glicosídeos de esteviol: esteviosídeo e rebaudiosídeo.

Nos produtos comercializados, há a possibilidade de ser isolar apenas um, o que confere características de paladar diferente.

O esteviosídeo é o glicosídeo que se usa com mais frequência, e que provoca um gosto amargo do qual as pessoas frequentemente reclamam

Já o rebaudiosídeo é o glicosídeo de esteviol que confere o melhor sabor, com muito menos amargor.

A stevia é segura?

São considerados seguros para uso em alimentos apenas glicosídeos de esteviol isolados, cuja dosagem máxima é de 4 mg por kg de peso.  

A stevia afeta a insulina?

A stevia age melhorando a sensibilidade à insulina, que ajuda na tolerância à glicose, reduzindo sua elevação após as refeições. É considerado um suplemento eficaz para o tratamento da resistência à insulina.   

Em diabéticos, gera menor necessidade de insulina exógena para o mesmo efeito.

Comparando o seu efeito no pós prandial (após comer) com sacarose e aspartame, ela gera níveis de açúcar mais baixos, além de não induzir aumento do apetite no transcorrer do dia, promovendo níveis estáveis ​​de açúcar no sangue e saciedade.       

Portanto, é o melhor substituto do açúcar para diabéticos e para as pessoas que querem emagrecer e manter o peso.

Cuidados ao consumir

A stevia é considerada segura, mas deve-se fazer muita atenção aos componentes que são associados, como adoçantes artificiais convencionais, dextrose ou maltodextrina.

Infelizmente, a porcentagem de pessoas que leem os rótulos é muito pequena. Muitas delas acabam confiando em rótulos chamativos que realçam a stevia, quando na verdade ela só está presente em 1 a 2% do produto.

Com isso, deixa de ser algo adequado para diabéticos, programas de emagrecimento e controle de peso.

Tenha atenção para sempre levar pra casa a stevia pura e 100% natural, sem aditivos.

Supersaúde!

Referências bibliográficas: 

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link