Riscos e Soluções para o Diabetes Tipo 2

Há algum tempo atrás, fomos surpreendidos com a retirada do mercado de medicações para pressão arterial, por conteremN-nitrosodimetilamina (NDMA).

Trata-se de um potente carcinógeno confirmado em estudos experimentais em animais, e a própria Organização Mundial da Saúde (OMS) admite que não há quantidade comprovada de risco para causar câncer em humanos, mas afirmam: “Os resultados apoiam a suposição de que o consumo de NDMA está positivamente associado ao câncer gástrico ou colorretal”          

Os medicamentos, no caso, são osremédios para pressão que possuem os princípios ativos do tipo “sartanas”, como a losartana, valsartana e irbesartana, que foram retirados do mercado.

Foi também suspensa a sua fabricação, importação, distribuição e comercialização.

Na sequência, a comercialização de dois medicamentos para azia (Zantac e Nizatidina) foi suspensa, por conterem as mesmas nitrosaminas.

E agora, o mesmo ocorreu com o medicamento para diabetes metformina, cujo consumo é crescente pelo aumento da incidência de casos de Diabetes tipo 2. A droga atua limitando a quantidade de açúcar liberada pelo fígado.  

O problema é que essa medicação antidiabetogênica oral é muito comum entre indivíduos diagnosticados com pré-diabetes e diabetes.

E à medida que os diagnósticos aumentaram, também aumentaram as prescrições da metformina.

Dados de 2017 do Center for Disease Control and Prevention (CDC), nos Estados Unidos, mostrou que havia 84,1 milhões de pessoas com pré-diabetes e 30,3 milhões com diabetes.

E o pior, esses números estão aumentando em jovens com menos de 20 anos. 

Riscos do NDMA

O NDMA é um produto químico solúvel em água que pode se formar em processos químicos industriais e naturais. 

É conhecido por causar câncer em animais, e no caso dos humanos, é classificado como um provável carcinógeno. Além disso, pode comprometer o fígado levando a insuficiência hepática.   

Segundo a Agência de Proteção Ambiental (EPA), ele também pode ser gerado durante a fabricação de medicamentos, pesticidas, borracha e pneus,subprodutos de curtumes,fabricação e uso de amônia, corantes e até em instalações de processamento de peixes.

Há vários casos em que o NDMA foi usado como veneno.  

Em 1978, um professor alemão envenenou a esposa, que morreu em seguida do consumo de uma geleia no qual intencionalmente ele colocou NDMA.

Em 2013, em uma pegadinha do dia da mentira, um estudante de medicina chinês morreu ao ingerir NDMA na água do bebedouro.

Mas mesmo assim milhares de pacientes em todo o mundo vêm tomando esses medicamentos contaminados, diariamente.

Os órgãos reguladores de saúde da Europa estimam que 1 em cada 3.390 pessoas que tomam esses comprimidos contaminados pode desenvolver câncer.

Por causa disso, no Estados Unidos, muitos pacientes entrarem com ações judiciais por terem sido diagnosticados com câncer de estômago, fígado, cólon e rins.  

Procure uma cura natural para o diabetes tipo 2

Diabetes tipo 2 é uma condição reversível para a imensa maioria das pessoas, independente de se achar que se trata de uma doença familiar.

Revisando a literatura, pode-se ver com clareza que praticamente todos os casos são reversíveis e que não têm nada a ver com medicamentos para controlar a glicemia

O risco de diabetes aumenta com o erro alimentar, quando se prioriza alto consumo de carboidratos, o que consequentemente promove aumento do peso. E o problema piora com a falta de atividade física.

A consequência é o aumento da resistência à insulina e à leptina.

Além disso, o uso de certos medicamentos, como as estatinas, também aumenta o risco de desenvolver diabetes.

O objetivo para se recuperar do diabetes tipo 2 é melhorar a sensibilidade à insulina e leptina através de dieta específica e exercícios, especialmente os de alta intensidade.

Essa estratégia nutricional eu deixo bem clara nomeu Livro “Diabetes Zero”, onde abordo o passo a passo que pode ajudá-lo.

E não esqueça que o diabetes certamente vai piorar o seu riscode doenças cardiovasculares, hipertensão, e até demência e Alzheimer, também conhecida como diabetes tipo 3.

Então, tenha cuidado! Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link