Saúde

Resistência a Antibióticos até em Golfinhos: Estamos Indo Longe Demais!

Tenho falando constantemente por aqui sobre resistência a antibióticos e todos os problemas decorrentes disso – para nós humanos e também para a natureza.

Na semana passado comentei sobre como os excessos de uso desse tipo de medicamento vem alarmando os pesquisadores, que têm analisado a questão de perto… Agora, quer mais uma prova disso?

De lá pra, em poucos dias, mais duas pesquisas foram divulgadas. Dessa vez, os estudos focaram-se na busca por bactérias resistentes em diferentes animais. E olha, vou lhe contar… Os resultam são um alerta a mais!

Resistência a antibióticos em rebanhos

Um estudo divulgado na revista Science aponta algumas tendências sobre a resistência a antibióticos. Segundo os pesquisadores, são prevalentes as bactérias resistentes de E. coli e Salmonella em rebanhos ao redor do mundo. Em especial, estão as criações de porcos e aves.

Os países onde foram encontrados mais casos de resistência são China e Índia, onde há enormes criações em cativeiro dessas espécies. Mas a pesquisa mostra um dado preocupante: outros países começam a aparecer nessa lista, e o Brasil está entre eles.

É importante notar que isso ocorre geralmente em cativeiros, onde os animais tomam doses de antibióticos para evitar o surgimento de doenças. Afinal, não é seu ambiente natural.

Por isso que sempre indico o consumo de carnes, ovos, leite e seus derivados de animais criados soltos, pastoreando. Como no Brasil maior parte do rebanho bovino é criado nessas condições, a carne vermelha de gado torna-se uma opção mais segura. Mas é sempre bom se certificar da procedência de sua carne e outros produtos de origem animal.

Bactérias resistentes até em golfinhos!

Agora, um problema que realmente chocou outros pesquisadores é a presença de bactérias resistentes a antibióticos em animais selvagens marinhos. Um estudo da Florida Atlantic University com mais de 170 golfinhos selvagens encontrou 733 diferentes patógenos nos animais.

Em cerca de 88% dos casos havia resistência a pelo menos um antibiótico conhecido. Sendo que muitos desses micro-organismos são potencialmente perigosos para os seres humanos, este é um fator a se considerar. Mas, por que isso ocorre?

Segundo os pesquisadores, fica evidente que os golfinhos receberam doses de antibióticos através da água por causa do descarte humano. Ou seja: nossa irresponsabilidade no uso de antibióticos está ajudando a criar bactérias resistentes até na fauna oceânica. Algo que, é claro, vai acabar se voltando contra nós mesmos!

Portanto, aqui vão as dicas de sempre: como já falei, procure sempre por produtos de animais criados a pasto. É essa consciência e demanda que vai possibilitar produtos de boa procedência. E lembre-se de só usar antibióticos em casos de real necessidade, sempre seguindo a recomendação de seu médico.

Para ver mais informações sobre o assunto, é só clicar aqui e conferir este outro post especial. Precisamos estar muito atentos a isso. Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *