Probióticos podem ser a Resposta para sua Doença Inflamatória Intestinal

Quanto mais entendemos as consequências de uma dieta moderna que destrói nosso intestino, mais valorizamos o que Hipócrates disse uma vez: “toda doença começa no intestino”.     

As evidências são claras de que havendo comprometimento da nossa ecologia intestinal, que é causada especialmente pelos erros alimentares, promovemos um desequilíbrio dessas bactérias boas, o que influencia na saúde e no bem-estar.

O seu microbioma intestinal começa a se formar quando você ainda é um bebê, sendo afetada pela genética, pela forma como foi amamentada, no peito ou mamadeira, e o seu ambiente.

Depois, o que afeta o seu microbioma são basicamente as suas escolhas alimentares. Uma dieta rica em alimentos integrais e com abundância de fibras tende a ter um impacto positivo na sua saúde.

Já uma alimentação rica em açúcar e alimentos refinados, processados, gorduras falsas e aditivos químicos podem reduzir a diversidade das bactérias e a saúde geral, pois nesse caso as bactérias ruins superarão as boas, sendo então a configuração perfeita para as doenças.

É quando começam os sintomas gastrointestinais. Você fica com gases, inchaço, constipação e diarreia. Com o tempo, isso pode gerar doença inflamatória intestinal, o que inclui condições como colite ulcerativa e doença de Crohn.

Essas doenças inflamatórias intestinais atingem milhões de pessoas, em especial as mulheres. E o que normalmente se faz?

Ataca-se o problema com drogas e até cirurgias, esquecendo a importância da dieta e da flora intestinal. Finalmente a ciência tem confirmado o que venho falando há décadas, que a doença inflamatória intestinal pode ser revertida com boa comida e boas bactérias.

A persistência de uma doença inflamatória intestinal é um fator que pode no mínimo contribuir para diarreias crônicas, condição também que induz inflamação sistêmica, o que desencadeia outras doenças, incluindo:

  • obesidade
  • diabetes tipo 2
  • doenças cardiovasculares
  • síndrome metabólica
  • degeneração neurológica
  • depressão
  • câncer

Portanto, fazer alterações em seu microbioma intestinal pode fazer muito mais do que só melhorar seus hábitos intestinais. Segundo estudo, o uso de um probiótico a base de Lactobacillus mostrou- potencial para aliviar os sintomas da síndrome do intestino irritável e da colite ulcerativa, graças aos seus efeitos anti-inflamatórios.     

Abordagem nutricional probiótica

Dieta:

Procure fazer uma alimentação aonde se consome óleos bons em grande quantidade, proteínas com moderação e carboidrato virtualmente zero.

Comece com restrição de fibras vegetais e frutas, por um período de 48 horas. Após isso, introduzir na dieta vegetais cozidos.

Na semana seguinte, passar a ingerir fibras vegetais em grandes quantidades. Frutas sempre com moderação, pelo índice de frutose desfavorável

Inclua alimentos fermentados como:

  • iogurte de leite cru de animais a pasto, além de outros lácteos cultivados como queijo e kefir, uma bebida láctea fermentada
  • chucrute, picles e outros vegetais fermentados
  • kimchi, natto e kefir
  • sopa de missô.

Suplemento probiótico

É imperativo tratar a ecologia intestinal com probióticos, pois só assim se recupera a imunidade e consegue-se reduzir a inflamação na mucosa gastrointestinal. Para isso você precisa de um suplemento que atenda as seguintes premissas:

  • tenha no mínimo 200 milhões de CFU (unidade formadora de colônia).
  • resista à acidez gástrica e sucos biliares, chegando no intestino em condições de promover a reparação.
  • um produto que tenha reputação no mercado.
  • obrigatoriamente deve ser a base de Lactobacillus acidophilus.

Lembre-se que sua ecologia intestinal depende disso!

Referências bibliográficas:

  • Brain March 2018; 141(3): e20
  • Cell Host and Microbe December 2016; 21(1): 84-96
  • Diabetes Research and Clinical Practice, 2014; 105(2):141-150
  • Frontiers in Cellular Neuroscience, 2015; 9:28
  • Clinical Medicine Insights, Cardiology, 2015; 7(8):13-21
  • Ulcers 2011, Article ID 841651  
  • Gastroenterology. 2004;126:1504-1517
  • Centers for Disease Control and Prevention. Data and Statistics. Inflammatory bowel disease prevalence (IBD) in the United States. March 21, 2019
  • www.drrondo.com/parkinson-mais-uma-consequencia-da-disbiose-intestinal/
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link