Por que a Covid-19 Causa Perda de Olfato?

Nesses momentos de pandemia, a informação baseada nas pesquisas científicas mais recentes é sua melhor arma. E quanto mais você souber sobre a Covid-19 melhor. Assim, pode se proteger e tomar as melhores decisões para sua família.

Hoje já sabemos que um dos sintomas da doença é a perda do olfato. Esse é um detalhe ao qual se deve estar muito atento, pois enquanto outros sintomas são os mesmos de gripes e resfriados comuns, a perda de olfato é algo que ocorre com mais frequência quando se é infectado com o novo coronavírus.

Como já comentei por aqui, uma pesquisa recente da Universidade da Califórnia – San Diego, com quase 1500 pessoas com sintomas gripais, concluiu que naqueles que estavam com Covid-19 era grande a prevalência da perda intensa de olfato e paladar.

Esses pesquisadores estimam que em pessoas com sintomas gripais que também tem perda de olfato, a chance de estar com Covid-19 é 10 vezes maior. Eis o motivo de estar alerta. Mas, por que isso acontece?

Perda de olfato na Covid-19: enfim uma boa notícia?

Recentemente, os pesquisadores da Harvard Medical School publicaram um artigo científico no qual tentam jogar uma luz sobre essa perda de olfato. O que eles descobriram é que o vírus entra nas células a partir de um receptor chamado ACE2.

Mas os neurônios responsáveis pelo olfato não expressam o gene que codifica a proteína desse receptor. Ele se expressa, na verdade, nas células que fornecem suporte metabólico e estrutural aos neurônios olfatos.

Ou seja, o Covid-19 não afeta os neurônios em si, mais outras células também envolvidas na sensação de olfato. Traduzindo, isso seria uma boa notícia, pois significa que a perda de olfato é temporária, já que não haveria lesão nos neurônios. Conforme afirma o Dr. Sandeep Robert Datta, autor do estudo:

“Eu acho que é uma boa notícia, porque uma vez que a infecção desaparece, os neurônios olfativos parecem não precisar ser substituídos ou reconstruídos do zero. Mas precisamos de mais dados e uma melhor compreensão dos mecanismos subjacentes para confirmar esta conclusão”.

A perda de olfato pode ocorrer também por outros motivos. É uma condição chamada anosmia, que infelizmente ela está ligada à perda da qualidade de vida, inclusive com aumento da depressão e ansiedade.

Como se sabe, a perda de olfato pela Covid-19 passa em algumas semanas. Se os danos fossem aos neurônios, como ocorre em outros casos, isso poderia demorar meses.

Em meio a tantas notícias ruins, saber que de fato não há sequelas no olfato é um alívio, não é mesmo?

Vejam os números

Pelas estatísticas da incidência de febre em pacientes com Covid, a porcentagem ficou em torno de 30%, e surpreendentemente para a mesma condição a alterações na capacidade olfativa variou de 25% a 41%, de acordo com os estudos.

Alguns especialistas estão pedindo que um teste de olfato seja incluído nas avaliações no teste do Covid-19.

Segundo o Dr. Justin Turner, do Centro Médico da Universidade Vanderbilt, estima-se que a incidência de anosmia na população com COVID-19 é cerca de 25%, podendo mais que dobrar, de acordo com relatos subjetivos dos pacientes.     

Uma pesquisa com 220 participantes, realizado nos EUA, mostrou que dos entrevistados, 42% eram COVID-19 positivos e 58% não. Quando a perda ou alteração do olfato ou paladar se manifestava como único sintoma, ocorreu em 37,7%.   

Já uma meta análise de 24 estudos realizada em 8.438 pacientes com COVID-19 positivo, observou-se que a disfunção do olfato foi encontrada em 41% e a disfunção do paladar estava presente em 38,2% da população.

Zinco pode ser a causa

Sabemos da importância do zinco intracelular, tanto na prevenção como tratamento coadjuvante do Covid-19, estimulando as defesas imunológica, inibindo a replicação viral ou interrompendo a infecção.

As pessoas com deficiência de zinco ou níveis marginais desse mineral, que acaba sendo muito solicitado nessa situação de infecção para combater o vírus, acabam manifestando os sintomas de perda de olfato e paladar. 

Teste de deficiência de zinco

Um modo prático e caseiro pode ajudá-lo a avaliaroseu nível desse oligoelemento:

Coloque duas colheres de sopa de uma solução de zinco na boca e segure-a por 10 segundos. Então cheque a sua sensação:

Grau               Sabor                                                   Significado

   1                 gosto ruim imediato                      não tem deficiência

   2                 gosto moderadamente ruim         tem deficiência leve

   3                 leve sabor desagradável              deficiente

   4                 sem sabor                                     severamente deficiente

Portanto, lembre-se da importância da suplementação do zinco, que pode não só eventualmente evitar a infecção ou ao menos reduzir os sintomas.

Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link