Saúde

Seu Papel Higiênico pode estar Colocando sua Saúde em Risco!

Quando o assunto é saúde, os perigos às vezes estão escondidos onde menos esperamos. E, nesse caso, você provavelmente vai ficar surpreso com algo oculto no seu banheiro… Sim, estou falando do seu papel higiênico!

Mas, afinal, o que pode estar presente nele que é tão perigoso? E como isso pode te afetar?

Ftalatos – nada de perfume!

O primeiro risco são os ftalatos, uma substância química que está ligada a deficiências de aprendizado nas meninas e retardos em aptidões motoras em meninos.

Segundo estudos, os ftalatos também dobram o risco de diabetes em idosos, além de estarem ligados ao aumento da resistência à insulina, à alta glicose sanguínea, ao ganho de peso e ao aumento da gordura abdominal.

Se você usa papel higiênico perfumado, é bem provável que ele contenha os ftalatos. Portanto, prefira aqueles mais simples, sem perfume, para minimizar os problemas.

BPA

O BPA é outra substância química que está presente no nosso dia a dia e traz muitos riscos. Quando ele penetra no seu corpo, seu organismo o interpreta como sendo o estrógeno, e é como se você recebesse uma pequena dose desse hormônio. Isso está ligado a problemas sexuais, diabetes, doença cardíaca, obesidade e muitas outras doenças.

Ouvimos muito falar da presença do BPA em plásticos, mas é importante lembrar que ele também se encontra em produtos de papel reciclado, como é o caso de muitos papeis higiênicos. E agora, o pior: essa substância entra no seu corpo pela sua pele, quando você tem contato com algum produto que o contenha.

Sei que isso pode até ser um pouco assustador e você deve estar se perguntando o que fazer. É evidente que, deixar de usar papel higiênico é algo praticamente impossível no nosso dia a dia. Mas você pode minimizar seu contato com o BPA que vem de outras fontes.

Consuma o máximo possível de alimentos orgânicos e frescos, que não vêm em embalagens plásticas ou enlatados. E se precisar armazenar algo, prefira sempre potes de vidro e aço inoxidável.

Outra dica, como sempre comento, é usar sua força como consumidor. Quando nos conscientizamos e buscamos por produtos mais saudáveis, a indústria acaba mudando suas práticas.

Opte pelos produtos que oferecem informações claras sobre sua composição, o que pode ajudar na mudança. A indústria alimentar, por exemplo, já está mudando baseada nos desejos de quem ter uma alimentação mais saudável, como mostrei em outro post (clique aqui para ver). https://www.drrondo.com/estilo-de-vida-mais-saudavel/

Fique atento e faça as melhores escolhas. Essa atitude tem reflexos imediatos na sua saúde!

Referências bibliográficas:

  • Environmental Research. August, 2011. 111(6): 825-30.
  • The Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism. 2012. February; 97(2):E223-7.
  •  JAMA. November, 23, 2011. 306 (20):2218-20.
  • Environmental Health Perspectives. October 29, 2010
  • Human Reproduction. January 28, 2009.
  • Pediatric Research. August 2010. 68(2):134-9
  • International Journal of Andrology. November 16, 2009
  • Neurotoxicology. September 30, 2009. (5):822-31. Epub, February 10, 2009.
  • Environment and Human Health, Inc., Human Exposures to DEHP

 

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *