Os Perigos Ocultos dos Brinquedos Inocentes

Bonecas, carrinhos, peças de montar, bolas, casinhas…

Se formos fazer uma lista dos brinquedos de crianças que são feitos de plástico, levaríamos o dia todo.

É comum vermos elas brincarem com esse tipo de material.

Tão comum que nem nos lembramos que podem estar em perigo pelo simples contato com esse produto.

Temos visto uma crescente preocupação com a ecologia, onde a poluição por plásticos ocupa um lugar de destaque – e com razão.

Mas se os plásticos são péssimos para a natureza, por que seriam bons para crianças e até para os bebês? Não faz muito sentido, não é mesmo?

Se você acha que eu estou exagerando, basta ver o que uma pesquisa recente concluiu sobre os brinquedos de plástico.

Em uma ação conjunta, pesquisadores americanos e dinamarqueses avaliaram esses objetos.

E sua abordagem foi muito interessante, porque eles não apenas analisaram quais químicos estão nesses plásticos, mas levaram em consideração também o tempo médio em que as crianças brincam.

Isso deixou tudo mais claro, pois mostrou como elas estão bastante expostas a substâncias perigosas em brinquedos que parecem inocentes.

Concluiu-se que nos países ocidentais as crianças têm em média 18kg de brinquedos de plástico, com os quais têm contato todos os dias. É muita coisa!

Mas o pior são os químicos identificados nesses brinquedos, como ftalatos e retardadores de chama bromados.

O problema é que, muitas vezes, os fabricantes dizem estar substituindo esses produtos tóxicos por outros, mas que no fim das contas também são perigosos.

É o caso dos plastificantes butirato TXIB e citrato ATBC, que são usados ​​como alternativas a alguns ftalatos regulamentados.

Ao todo, foram encontradas 116 substâncias prejudiciais à saúde infantil, algumas até cancerígenas.

É hora de darmos um basta nisso!

O que você pode fazer agora para proteger as crianças

Veja algumas dicas importantes:

1 – Reduza o plástico

O primeiro passo, obviamente, é reduzir o uso de plásticos.

Sabemos que isso nem sempre é fácil quando o assunto é brinquedo, mas tente minimizar ao máximo esse contato procurando alternativas.

Com certeza você vai encontrar.

2 – Cuidado com os plásticos macios

Segundo os pesquisadores, os plásticos mais macios são aqueles com maior probabilidade de esconderem químicos perigosos em sua composição.

Embora não exista um “plástico seguro”, tenha atenção a esse tipo em especial.

3 – Mantenha uma boa ventilação

O principal perigo dos plásticos é que os produtos químicos soltam-se no ar, podendo ser inalados pelas crianças.

Por isso é importante evitar ambientes muito fechados. Deixar o ar circular vai ajudar a reduzir a concentração desses gases ambientais.

Outra dica é usar plantas que filtram o ar da sua casa, como já comentei por aqui (veja nesse post especial).

Elas são boas também para eliminar químicos que se soltam de outros materiais, como as substâncias usadas em tapetes, produtos de limpeza e materiais de construção.

A poluição dos ambientes internos é tão perigosa quanto a externa. Vamos ter atenção!

Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link