Alimentação

Os Perigos da Maionese Industrializada

É difícil evitar um alimento quando ele está presente em todo lugar. Quando você faz qualquer tipo de lanche, mesmo que saudável, lá está ela… E às vezes somos tentados até a cozinhar pratos com maionese. Isso não seria um problema tão grande caso ela não fosse um produto tão industrializado!

Como sempre, a praticidade é algo que nos leva a riscos desnecessários. Afinal de contas, é muito mais fácil abrir um pote de maionese comprado no supermercado do que fazê-la em casa. Mas, acredite, não vale a pena!

Essa maionese industrializada pode trazer alguns riscos para a sua saúde, como, por exemplo…

Gordura trans

A maionese industrializada está entre os alimentos com maior quantidade de gordura trans em sua composição, junto com outros cremes, margarinas, cookies, salgadinhos, batatas fritas, pipocas de microondas, donuts e bolachas. Eles chegam a ter entre 30 a 50% dessas gorduras maléficas.

A gordura trans é resultado da hidrogenação de óleos vegetais. Esse processo envolve uma reação sob pressão com hidrogênio a altas temperaturas, durante várias horas e na presença de níquel ou platina.

Com isso, os nutrientes que seriam naturais do óleo são transformados em compostos tóxicos, que os humanos nunca comeram antes em sua história. Tanto que não há dados suficientes da quantidade segura de gordura trans que podemos comer.

A recomendação dos órgãos de saúde é que seja o mínimo possível. Na verdade, você deve lutar para que esse consumo seja ZERO. Embora muitas empresas estejam se atualizando para oferecer produtos sem gordura trans, é preciso ficar alerta.

Dióxido de titânio

Sabe aquela maionese branquinha que você pega na prateleira do mercado? A cor suave pode ser resultado da adição de dióxido de titânio à mistura. Esse produto é o mesmo que está em tintas, plásticos e protetores solares.

Nos Estados Unidos, o FDA permite que os produtos alimentares contenham nanopartículas de dióxido de titânio (TiO2) a 1%, sem que ele seja incluído no rótulo do ingrediente. Então, é possível que você esteja consumindo muito disso, sem nem saber!

E o que acontece então? A capacidade dos seus intestinos de absorver nutrientes como zinco, ferro e ácidos graxos pode ser prejudicada, levando à má nutrição e outros problemas de saúde.

Bom, esses são só os 2 principais problemas do consumo desse tipo de maionese. Há também outros fatores que você pode imaginar, como excesso de conservantes, corantes, açúcar etc.

Receita de maionese natural caseira sem açúcar

Se você quer evitar os problemas acima, que tal fazer sua própria maionese? Siga os passos abaixo e aproveite. Além de ser gostosa, tem pouquíssimo carboidrato, podendo ser consumida até por quem faz a dieta keto.

Ingredientes:

  • 2 colheres de chá de mostarda em pó
  • 2 colheres de sopa de limão espremido na hora
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de stevia
  • 1/8 colher de chá de pimenta preta moída na hora
  • 2 gemas de ovo
  • 1 ¾ xícaras de óleo de coco
  • 2 colheres de sopa de vinagre

Modo de preparo:

  1. Encha uma tigela grande com gelo. Coloque dentro, uma tigela média.
  2. Na tigela média, adicione a mostarda em pó, 1 colher de sopa de suco de limão, sal, stevia e pimenta. Com uma batedeira, bata bem.
  3. Adicione as gemas, mexendo bem em velocidade média-alta.
  4. Muito lentamente, enquanto continua a misturar, adicione ¼ xícara de óleo de coco, colher de chá por colher de chá. Lentamente continue a adicionar os restantes 1 ½ xícaras de óleo enquanto mistura de forma constante.
  5. Quando a mistura começar a engrossar, continue misturando e adicione vinagre e a colher de sopa restante de suco de limão intermitentemente com o óleo.
  6. Continue até que todos os ingredientes sejam adicionados e todo o óleo tenha sido usado.
  7. Refrigerar a maionese em um recipiente hermético por até 1 semana. Não congele.

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *