Óleos Essenciais e Novo Coronavírus: Qual a Relação?

Se você me acompanha por aqui, sabe o quanto tenho falado dos óleos essenciais. Trata-se de óleos extraídos dos vegetais, sejam folhas, flores, frutas e até raízes, concentrando todos seus benefícios. Eles são mil e uma utilidades, servindo desde o uso cosmético até como óleo de massagem.

Além disso, seu uso na aromaterapia é muito antigo e tem vários efeitos comprovados. Manter esse cheirinho agradável no ambiente é muito mais do que simplesmente uma forma de perfumar sua casa. Diversas pesquisas confirmam benefícios psicológicos variados, dependendo do óleo.

Outro uso eficaz é para limpeza de superfícies. A maioria dos óleos essenciais que já mostramos por aqui são verdadeiros exterminadores de micro-organismos. Então, será que seu uso em difusores pode ajudar no combate ao novo coronavírus?

Óleos essenciais: aliados naturais contra vírus

A primeira coisa que precisamos deixar claro sobre o novo coronavírus – e que você até já deve saber – é que ele pode permanecer em superfícies por até 3 dias. Por isso é importante sempre higienizar bancadas, mesas e outros locais que possam ter tido contato com o vírus. Nisso, certamente os óleos essenciais podem ajudar.

Uma pesquisa de 2017 fez testes de laboratório com células infectadas por vírus, e diversos óleos demonstraram efeitos antivirais, como:

  • Óleo essencial de melaleuca (Melaleuca alternifolia);
  • Óleo essencial de canela (Cinnamomum zeylanicum);
  • Óleo essencial de bergamota (Citrus bergamia);
  • Óleo essencial de capim-limão (Cymbopogon flexuosus);
  • Óleo essencial de eucalipto globulus (Eucalyptus globulus);
  • Óleo essencial de tomilho (Thymus vulgaris).

O que também já se sabe é que o novo coronavírus pode ficar até 3 horas disperso no ar – quando uma pessoa doente espirra ou tosse, por exemplo, espalhando as gotículas no ambiente. Alguns estudos indicam que alguns desses óleos, usados em difusores e sprays, podem ter também efeitos antivirais. Ou seja, é como se esse vapor “limpasse” o ar, eliminando partículas suspensas de vírus e bactérias.

Em um estudo controlado, se comprovou que vapores dos óleos essenciais de bergamota e de eucalipto globulus inativaram o vírus influenza em 10 minutos. Os óleos de canela, capim-limão e gerânio demoraram 30 minutos, mas também mostraram bons resultados.

Outra pesquisa, feita em 2010, demostrou que mesmo um óleo essencial comercial diluído pode ser bastante útil nesse sentido. O produto, que continha os óleos essenciais de canela, eucalipto globulus, cravo (Syzygium aromaticum), laranja doce (Citrus sinensis) e alecrim (Rosmarinus officinalis), demonstrou a capacidade de reduzir o potencial de infecção do vírus influenza.

É importante lembrar ainda que há outros efeitos ligados à dispersão do aroma dos óleos essenciais. Os óleos de frutas cítricas, como os citados acima, e o de lavanda (Lavandula angustifolia), por exemplo, comprovadamente atuam reduzindo a ansiedade. Só esse efeito já é relevante para manter uma boa imunidade, algo que todos precisamos nesses tempos!

Portanto, vale a pena dar uma chance aos óleos essenciais. É claro que você deve continuar seguindo as orientações dos órgãos de saúde no combate ao novo coronavírus. Além dessas medidas, os óleos podem agregar ainda mais para a proteção da sua família, e toda ajuda é válida. Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • Tisserand Institute
  • BMC Complement Altern Med 2010; 10: 69
  • Physiology & Behavior Volume 86, Issues 1–2, 15 September 2005, Pages 92-95
  • Ment Health Clin 2017 Jul; 7(4): 147–155
  • Reuters March 17, 2020
  • American Journal of Essential Oils and Natural Products August 25, 2014
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link