Bem-Estar

Óleo Essencial de Coentro: de Poção do Amor a Benefícios Intestinais

O óleo essencial de coentro é usado milenarmente, tanto na culinária como na medicina tradicional. Para se ter uma ideia, os egípcios antigos o utilizavam em “poções do amor”. Eles acreditavam que o óleo tinha propriedades afrodisíacas, melhorando a performance sexual e combatendo a impotência.

Nos dias de hoje, também é um ingrediente importante para dar sabor e aroma inúmeros produtos, que vão desde bebidas até sabonetes. Mas, e para a sua saúde? O que esse óleo essencial pode fazer?

Ação antibacteriana, antifúngica e antialérgica

A composição do óleo essencial de coentro tem propriedades de combate a bactérias e fungos. Além disso, ele conta com polifenóis que podem ajudar no tratamento de alergias, desde as sazonais quanto as que ocorrem em decorrência de fatores ambientais, como a rinite.

Melhora de funções intestinais

O coentro por si só já é conhecido por seus benefícios digestivos. Mas seu óleo essencial é ainda mais poderoso! Isso porque contém substâncias como borneol e o linalol, que auxiliam uma boa digestão.

Como se não bastasse, elas atuam no funcionamento adequado do fígado e dos intestinos. Pesquisas indicam que o óleo essencial de coentro pode tratar casos de diarreia, inclusive causadas por micróbios ou fungos. Lembra quando falei das propriedades antibacterianas e antifúngicas? Pois é!

Usos e cuidados com o óleo essencial de coentro

Na aromaterapia, o óleo de coentro é conhecido como revitalizante e calmante, também sendo relatados efeitos diuréticos. Nesse caso, é utilizado em dispersores específicos para liberação do aroma.

Também pode ser usado de forma tópica, como óleo de massagem, o que promove a circulação e pode ajudar no alívio de dores musculares. Apesar de não ser tóxico, evite usar oralmente sem orientação médica adequada, tomando cuidado principalmente com os excessos. Grávidas também devem evitá-lo por seu efeito de estímulo muscular.

De qualquer forma, converse sempre com seu médico antes de qualquer decisão. E nunca substitua nenhum tratamento que já esteja fazendo. Cuide-se e sempre procure por orientações precisas. Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *