Saúde

Óleo Essencial de Aloe Vera: Adeus, Dores!

Você conhece o óleo essencial de aloe vera? Provavelmente já ouviu falar dessa planta, também chamada de babosa em algumas partes do Brasil… Ela tem efeitos em:

  • Queimaduras solares
  • Tratamentos para pele
  • Acidez estomacal
  • Estímulo da produção de colágeno
  • Redução da inflamação silenciosa
  • Tratamento da herpes

O óleo essencial de aloe vera é um pouco diferente de outros óleos essenciais. Ele não é obtido através de processos de destilação, mas misturando-se o extrato do interior da planta com algum óleo, como de oliva ou de coco.

Contém vitaminas A, B1, B2, B6, C e E. Além disso, como a aloe vera tem boa capacidade de extrair minerais do solo, ela está repleta deles. Os principais são ferro, cobre, magnésio, cálcio, manganês, sódio e potássio. E mais: conta com cerca de 20 aminoácidos, lipídios e polissacarídeos.

Alívio de dores e inflamação

Pelas características já citadas acima, é de se esperar que o óleo essencial de aloe vera seja uma ótima pedida para redução de dores e mesmo de inflamações pelo corpo.

Embora o “gel” natural da planta não seja contraindicado para uso tópico, sua diluição em óleo facilita a utilização como óleo de massagem. Ao utilizá-lo para massagear pontos de dor, você obtém esse benefício de forma simples e natural.

Picadas de insetos

Algumas picadas de insetos são realmente incômodas – desde as dos mosquitos, que causam coceira, até a de vespas e abelhas, que causam inchaço e dor.

Nesses casos, o óleo essencial de aloe vera pode proporcionar diminuição dos sintomas desfavoráveis no local e aliviar o inchaço. Nada como a natureza para um auxílio nesse momento!

Cuidados com o óleo essencial de aloe vera

Algumas pessoas podem apresentar reações alérgicas a esse óleo essencial. Além disso, ele pode interagir com certos medicamentos, como aqueles para diabetes, diuréticos ou laxativos.

Portanto, se você se enquadra em algum desses casos, converse com seu médico. Não tome nenhuma decisão por conta própria e não suspenda tratamentos que já esteja fazendo. Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *