Alimentação

O Superalimento Esquecido

Quando se fala em superalimento, vem à cabeça uma fruta exótica, ou talvez chá verde ou clorela, por exemplo.

Com certeza, todos esses alimentos são boas escolhas e podem até ser dignos do rótulo “superalimento”.

Porém, você jamais pensaria no fígado!

Mas saiba, que grama por grama, o fígado é o superalimento mais potente da natureza.

Trata-se de uma fonte rica de muitos nutrientes que a maioria das pessoas atualmente não recebe na dieta, como por exemplo:

Retinol, a forma ativa da vitamina A, que é um antioxidante usado para aumentar a vida útil do colágeno e bloquear as enzimas que o destroem. É crucial para a saúde da pele, fertilidade e gravidez, visão e saúde imunológica.

Colina, que é crítica para a síntese de DNA, função cerebral e um sistema nervoso saudável. Além do fígado, os ovos também são uma fonte importante.

Merece uma atenção especial a presença de colina nos ovos. E os estudos mostram que é extremamente difícil obter a ingestão adequada de colina sem consumir fígado, ovos ou tomar um suplemento dietético.

Somente cerca de 8% dos adultos dos EUA estão recebendo colina suficiente e apenas 8,5% das mulheres grávidas estão consumindo quantidades adequadas, de acordo com um estudo publicado na revista Nutrients. A colina age na estruturação das membranas celulares e como sinalizador cerebral.

Sua deficiência está ligada a problemas de memória, letargia e confusão de raciocínio. No caso das mulheres gravidas, previne certos defeitos congênitos, como espinha bífida, e colabora no desenvolvimento do cérebro de bebês em gestação.

– B12 e folato. Esses nutrientes são cruciais para a metilação, que afeta desde a expressão gênica até a produção de neurotransmissores. É importantíssimo na desintoxicação.

A vitamina B12 é fundamental para o cérebro, e esse nutriente é principalmente encontrado nas carnes, miúdos, peixes, laticínios e ovos. 

Já o folato é um dos nutrientes vitais para as mulheres grávidas, por ajudar no desenvolvimento de seus bebês. Encontrado em fígado e espinafre.

– Zinco e cobre. O zinco e o cobre trabalham juntos para influenciar a função imunológica, o metabolismo e o sistema nervoso. Uma única porção de fígado fornece cobre suficiente por uma semana inteira!

O zinco é muito encontrado também em carnes, miúdos, peixes, sementes e laticínios.

Mas por que, mesmo com tantos benefícios, não se está consumindo fígado?

Trata-se de um alimento que não se valoriza na nossa dieta moderna. Seus avós, e talvez seus pais, cresceram comendo este superalimento, o que para nós é pouco comum.

Há um mito de que o fígado poderia estar “cheio de toxinas”, mas apesar dele processar as toxinas, estas são armazenadas no tecido adiposo, e não no fígado como se supunha. Não há evidências que comprovem que consumir fígado aumente sua carga tóxica.

Na verdade, o fígado é rico em nutrientes que são essenciais para uma eficiente desintoxicação, como B12, folato e colina.

Portanto, não deixe de considerar este superalimento na sua dieta!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

1 Comment

  1. Iteresante, também pensava que o figado dos animais estivesse com carga toxica. Vamos retomar o consumo de fígado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *