O que o Envenenamento por Paracetamol na Suíça tem a nos Ensinar

Sabe aquele remedinho comum, que você pode comprar sem receita e toma sempre que sente alguma dor?

Você já parou pra pensar se ele é realmente seguro? Sabe como usar de forma correta, sem exceder na dose?

Olha, os remédios, por mais simples que sejam, trazem efeitos colaterais. Ainda mais tomados além da quantidade recomendada.

Este é um alerta a todos que fazem uso indiscriminado de medicamentos, sejam quais forem.

Veja por exemplo o caso relatado recentemente por pesquisadores suíços…

Lá na Suíça, até 2003, eram vendidos comprimidos de paracetamol de no máximo 500 mg. Nada além disso.

Mas então, passou a ser permitida a venda de comprimidos de 1000 mg. E sabe o que aconteceu?

O número de envenenamento por paracetamol aumentou drasticamente!

É claro, essas estatísticas aumentaram junto com as vendas da dosagem mais alta.

Em 2 anos os comprimidos de 1000 mg já eram 10 vezes mais vendidos que os de 500 mg.

Qual o problema com o paracetamol?

Aí você me pergunta… Esse não é um remédio comum e inofensivo?

Bom… Depende. Em alguns momentos, precisamos mesmo atacar a dor e a febre, por exemplo. Mas desde que haja uma indicação real e sem exageros.

Mas, vamos combinar, o bom senso não está tão presente assim nas pessoas como esperamos.

E em alguns casos, com a dor persistente, alguns se desesperam, querendo dar fim ao problema de qualquer jeito.

Mas ao invés de buscarem ajuda médica, acabam exagerando nos remédios por conta própria. É aí que mora o perigo.

Nesse exemplo suíço, os pesquisadores demonstraram que em 2005 houve 561 casos de intoxicação por paracetamol.

Em 2018, o número foi de 1.188 ocorrências. Mais que o dobro.

E não estamos falando de um simples mal estar. Tomar paracetamol em excesso (acima de 4.000 mg, ou seja, 4 desses comprimidos no dia) pode causar:

  • Intoxicação
  • Insuficiência hepática
  • Em casos extremos, até necessidade de transplante de fígado ou morte.

Deve-se lembrar ainda que ele apenas funciona para tratar a dor a curto prazo.

O ideal é que você procure seu médico para saber combater os reais motivos dela, e não apensar combater os sintomas.

Se você já sabe quais são esses motivos e está usando indicado pelo médico, siga estritamente a receita.

O que esse caso nos ensina

Eu sempre comento por aqui sobre os perigos de se tomar remédios sem necessidade ou acima da dose recomendada.

Os riscos dos antibióticos, por exemplo, são sempre motivo de alerta. A própria ONU já estima que nas próximas décadas milhões de pessoas podem morrer por ano por causa disso.

O uso desmedido de antibióticos no mundo moderno tem criado bactérias resistentes, cada vez mais difíceis de combater.

Eles são usados até na produção de carne, quando animais confinados precisam desses remédios para resistirem ao cativeiro.

Essa comida destrói também nossa ecologia intestinal, prejudicando a imunidade.

É por isso que sempre indico carne de animais criados a pasto, pois eles têm maior qualidade de vida, menos riscos de doença e não necessitam tomar antibióticos.

Com outros tipos de medicamento o cuidado deve ser o mesmo.

Vimos aqui o que o excesso de paracetamol pode causar, mas vários remédios comuns são problemáticos.

Quer ver um exemplo?

Então clique aqui para ver uma lista de 10 remédios comuns que causam perda de memória.

E agora, veja algumas dicas:

1 – Apenas tome remédios por indicação médica, mesmo aqueles que podem ser comprados sem receita.

2 – Procure descobrir a causa real dos seus problemas, e não apenas tratar sintomas superficialmente.

3 – Lembre-se de que  qualquer medicamento possui efeitos colaterais.

4 – Busque soluções naturais sempre que possível. Há diversos alimentos e até atividades que reduzem as dores, por exemplo.

5 – Alimente-se corretamente, seguindo uma dieta keto, e pratique atividade física. A prevenção é a melhor medicina, e uma vida saudável é a chave dessa prevenção.

Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link