O que a Bilirrubina e a Spirulina têm em Comum no Emagrecimento

Nos primeiros dias de nascimento de uma criança, há uma condição bem conhecida de todos, aliás com grande preocupação, que é a icterícia neonatal. 

É a pigmentação amarelada da pele e da parte branca dos olhos num recém-nascido, causada por uma concentração elevada de bilirrubina no sangue.

Quando ela não desaparece sozinha, para evitar encefalopatia bilirrubínica com danos cerebrais (kernicterus), se coloca o bebê em fototerapia, também conhecida como banho de luz.

Com isso, se ajuda a diluir a pigmentação, que será excretada por meio das fezes.

Porém, a novidade é que têm aumentado muito as evidências científicas e clínicas que mostram que a bilirrubina tem também seu lado positivo, pois é ela um potente antirradical livre.

Agora, os cientistas entendem que a bilirrubina pode realmente ter propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e antiateromatoses.

Isso faz sentido, poisesse composto alaranjado é produzido quando o fígado naturalmente decompõe glóbulos vermelhos velhos (degradação da hemoglobina), quebrando o heme em uma forma não tóxica.    

A ação benéfica da bilirrubina, no caso, é por inibir a enzima NADPH oxidase (NOX), um mediador chave da ativação pró-inflamatória.

Na verdade, a superatividade do NOX parece desempenhar um papel significativo em várias doenças, especialmente vasculares, e complicações vasculares de outras doenças (diabetes, insuficiência renal, cegueira e doença cardíaca, por exemplo).

Compromete também a resistência à insulina, gera distúrbios neurodegenerativos como Alzheimer e Parkinson, câncer, glaucoma, fibrose pulmonar e disfunção erétil.

Spirulina como inibidor de NOX

Por outro lado, a spirulina é uma grande fonte de ficocianobilina, um parente muito próximo da bilirrubina, que desempenha também efeito inibidor de NOX.

Uma grande quantidade de pesquisas tem mostrado sua ação no endotélio da aorta humana, músculo liso aórtico e culturas de células renais.

Além disso, como a bilirrubina reduz o risco de obesidade e problemas de saúde relacionados, segundo publicação de DiNicolantonio, isso ajudaria no controle do peso, evitando o desenvolvimento de resistência à leptina, sugerindo que a spirulina também pode ter o mesmo efeito.   

Outra ação importante, no caso, é que a spirulina pode inibir o NOX e aumentar o NADPH, a molécula antioxidante de recarga mais importante do corpo, mantendo o pool de elétrons disponíveis para reativar elementos antioxidantes.

Spirulina pode combater diabetes e obesidade

Ambas as condições têm uma causa em comum: resistência à leptina

Tornando-se resistente à leptina você tem aumento de apetite e consequente ganho de peso.

Como sabemos, a bilirrubina aumentada pode protegê-lo contra diabetes e obesidade, e acredita-se que a spirulina, por ter ação muito semelhante, possa fazer o mesmo efeito.

Apesar do efeito protetor da bilirrubina, pela possibilidade de atingir níveis tóxicos é melhor usar a spirulina.

Qual é a spirulina correta ?

  • Dê preferência a produtos orgânicos
  • Observe a procedência, pois muito dessas algas são cultivadas em ambientes com metais pesados, substâncias radioativas ​​e outras toxinas.

Terapêutica

Pode ser em cápsulas, comprimidos ou pós.

Procure sempre iniciar com baixas doses e ir aumentando aos poucos.

No caso da obesidade e diabetes

Os estudos sugerem que uma dose inicial geral para adultos é tipicamente de cerca de 3 gramas, podendo ser elevada até 20 gramas por dia. Para manutenção terapêutica, a literatura aponta cerca de 10 gramas por dia.

Sempre aumentar sua ingestão de água para facilitar sua absorção.

Converse com o seu médico, pois é quem pode melhor lhe orientar no seu caso.

Nas terapias de detox

Quando é usada com efeito desintoxicante, tem uma ação potente, e por isso pode haver casos de reação pela mobilização e eliminação de cargas tóxicas.

Nestes casos também, deve-se aumentar gradativamente as dosagens.

Sempre aumentar a ingestão de água para facilitar sua absorção.

Reações importantes

Não são frequentes, mas podem ocorrer:

  • por ativar o metabolismo, pode causar febrícula
  • aparecimento de fezes verde-escuras, por remover toxinas acumuladas no cólon
  • gases pela regeneração da ecologia intestinal
  • irritações de pele, excitabilidade ou sonolência pelo efeito de desintoxicação

Quando evitar spirulina        

  • indivíduos alérgicos a frutos do mar
  • alergia a iodo
  • gravidez e amamentação
  • hipertireoidismo

Com todo os cuidados necessários, vale a pena contar com esse aliado natural. Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • Pediatrics June 2004; 113(6)
  • Nutrineat.com Spirulina Side Effects
  • Am Fam Physician. 2004 November 1,;70(9):1731-1738.
  • Lipids Health Dis. 2007 November 26
  • J Nutr. 2007; 137(3): 657-64.
  • Nutr Res Pract. 2008 Winter; 2(4): 295-300.
  • Journal of Pharmacy and Nutritional Sciences. 2011, 1, 111-118 
  • Clinical Nutrition. 2017, October 3
  • Open Heart 2018; 5: e000914 
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link