O Café Precisa ser um Prazer Culposo?

Apesar de ser altamente controverso, depois da água, o café é a segunda bebida mais ingerida na maioria dos países.

Muito do que se pensava sobre o café tem caído por terra, e outros dados têm sido comprovado pelos extensos estudos realizados por pesquisadores.

Algumas pessoas ao ingeri-lo se sentem mais alertas, produtivos e motivados, enquanto outros apresentam o efeito contrário, tornando-se ansiosos, nervosos e incapazes de se concentrar. 

O motivo disso é uma capacidade individual de metabolizar bem ou não a cafeína.

Para os que se sentem melhor é a certeza de que apresentam uma facilidade de metabolizar a substância, e no caso dos que se sentem mal, o motivo é o oposto, uma dificuldade fisiológica de metabolizar a cafeína.

Outro exemplo disso é que alguns tomam café à noite e dormem super bem, enquanto outros tomam café mesmo à tarde e já apresentam comprometimento do sono.

No caso dos indivíduos que têm dificuldade de metabolizar cafeína, eles não desfrutam dos mesmos benefícios dos “bons metabolizadores”.

Veja agora o que os estudos recentes mostram para esse segundo grupo, capaz de metabolizar a substância mais rápido ou normalmente:

1. Promove longevidade

De acordo com estudos publicados nos Annals of Medicine, em julho de 2017, o consumo de duas a quatro xícaras de café mostrou a redução de risco de morte em até 18% quando comparado com não bebedores de café, para diabetes, doenças cardíacas, renais, derrames, doenças respiratórias crônicas e câncer.          

E isso se confirma em um outro estudo de 16 anos, realizado em países europeus, aonde os maiores bebedores de café tinham 25% menos probabilidade de morrer em comparação com os que não bebiam. 

E segundo a pesquisadora Miriam Nelson, professora da Escola de Ciência e Política da Nutrição da Tufts University, 

    “Examinamos toda a ciência … não encontramos efeitos negativos e adversos sobre a saúde quando você bebe de três a cinco xícaras por dia. Na verdade, há uma diminuição do risco de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, doença de Parkinson e alguns tipos de câncer, incluindo câncer de mama e de próstata”.  

2. Rico em antioxidantes

As pesquisas mostram que o café tem mais antioxidantes polifenóis do que cacau, chá verde, chá preto e chá de ervas. 

É um poderoso antioxidante, no caso, devido ao ácido clorogênico e ao ácido caféico, que podem ajudar a proteger as células contra danos e estresse oxidativo. 

3. Protetor do fígado

Cada xicara de café melhora a circulação hepática reduzindo em cerca de 20% a progressão de cirrose alcoólica e hepatite C, segundo estudo publicado no Archives of Internal Medicine.

4. Melhora o desempenho físico

Interfere positivamente no seu desempenho físico, ajudando a melhorar a potência e / ou resistência no seu treino.

Além disso, melhora o desempenho mental e físico a curto prazo. 

Estudo comparativo entre homens adultos que bebiam café antes de se exercitar em comparação com grupos de placebo e descafeinado, publicado pela School of Sport and Exercise Science at the University of Birmingham em 2013, observou que nos bebedores de café normal, tanto a potência como o desempenho atlético foram melhores. 

5. Melhora a função cognitiva

Promove aumento do fluxo sanguíneo cerebral, sendo por isso considerado um tratamento natural para Alzheimer e outras condições como perda de memória e demência.

Tratamento com cafeína em animais, como o conduzido pelo Centro de Pesquisa da Doença de Alzheimer, na Flórida, que mostra recuperação da memória e redução de proteína beta-amilóide no cérebro, após 2 meses de tratamento.

6. Auxilia na prevenção do diabetes

Pela presença de ácido clorogênico, um dos principais antioxidantes encontrados no café, a bebida promove redução da absorção de glicose dos alimentos açucarados ou ricos em carboidratos. 

Isso por si só já é benéfico para prevenir a resistência à insulina, tanto é que para cada xicara de café consumida há 7% de redução de risco de desenvolver diabetes tipo 2, segundo meta análise publicada no Archives of Internal Medicine.

Já o Nurse’s Health Study mostra que beber duas ou três xícaras de café por dia está associado a uma menor incidência de diabetes tipo 2 em mulheres mais jovens e de meia-idade. 

7. Melhora a saúde do coração

Os antioxidantes cafestol e kahweol, presentes no café, apresentam efeito positivo na melhora do colesterol, além de reduzirem taxa de mortalidade para todas as causas – em especial por motivos cardiovasculares, segundo grandes estudos epidemiológicos.

Além disso, protege de disfunção endotelial, mantendo as artérias sem agressões.

Reduz também risco de arritmia, insuficiência cardíaca e derrame, apesar de algumas pessoas terem a sensação de ansiedade e nervosismo, fatores que normalmente se faz pensar serem de risco. 

8. Protetor contra câncer

De acordo com publicação no Scientific Reports, o café tem efeito altamente protetor para vários tipos de câncer, como por exemplo oral, faríngeo, fígado, cólon, próstata, endométrio e melanoma. 

9. Promove perda de peso 

Cada xicara de café consumida gera em média 7% de aumento do metabolismo por um período de 3 horas, o que consequentemente auxilia na queima de gordura e perda de peso, segundo publicação no Annals of Nutrition & Metabolism.

Porém, esses resultados só são possíveis quando se usa somente o café sem açúcar ou cremes.

10. Protege contra foto-envelhecimento

O café e seu polifenois agem reduzindo o estresse oxidativo, aumentando a proteção contra o foto-envelhecimento.

Então, da próxima vez que for tomar aquele cafezinho delicioso, lembre-se de tudo isso. E Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link