Bem-Estar

O Café faz Bem para Você? Depende…

As boas notícias associam numerosos estudos do consumo de café com efeitos positivos à saúde, como a redução do risco de obesidade, diabetes, câncer e doenças cardíacas.

Além disso, protege contra doença de Parkinson, Alzheimer e síndrome metabólica.

Porém há as más notícias: enquanto ele é indubitavelmente benéfico para algumas pessoas, pode ser prejudicial para outras.

Pesquisas recentes sugerem que os efeitos do café na saúde não são os mesmos para todos e podem depender da genética e de outros fatores.

Nós já sabemos que há alguns dos fatores, incluindo sono, estresse e intolerância a proteínas em grãos de café, influenciam a resposta individual à bebida

Mas há outro fator importante a considerar: o genótipo.

O café é a nossa principal fonte de cafeína. E esta é metabolizada por uma enzima no fígado que é codificada pelo gene CYP1A2. Infelizmente, cerca de 50% da população tem uma variante do gene CYP1A2 que leva ao lento processamento da cafeína.

Para esses “metabolizadores lentos”, beber café está associado com:

  • maior risco de doença cardíaca
  • maior risco de hipertensão
  • glicemia de jejum alterada
  • menor efeito protetor contra alguns tipos de câncer que parece ser grande para “metabolizadores rápidos”

E então, o café é bom ou ruim para você?

A conclusão mais óbvia é que é impossível fazer uma declaração geral sobre os impactos do café sobre a saúde.

Tudo depende da sua individualidade bioquímica, pois não há uma abordagem única para todos os tipos de dieta.

Temos diferenças importantes como: genes, expressão gênica, atividade metabólica, microbioma intestinal, estilo de vida, nível de atividade e vários outros fatores que diferem de pessoa para pessoa, e cada um terá um impacto de resposta a um determinado alimento (ou bebida, como café).

Por exemplo:

  • Existe uma grande variação no açúcar no sangue pós-refeição entre pessoas que comem refeições idênticas, e dietas que são personalizadas com base em hábitos alimentares, atividade física e microbiota intestinal. E mais, estas tem melhor resultado do que as dietas “padronizadas”.
  • A resposta a dietas com baixo teor de carboidratos e baixo teor de gordura em pessoas com sobrepeso varia consideravelmente e pode depender da sensibilidade à insulina e de outros fatores que ainda não são totalmente compreendidos.
  • A cafeína consumida à tarde ou à noite perturba significativamente o sono em algumas pessoas, mas não em outras.
  • Mesmo dentro de um genótipo particular, os efeitos do café são variáveis. Ou seja, alguns metabolizadores lentos podem ser afetados negativamente pela cafeína, quando outros não são, e o oposto pode ser verdade para os metabolizadores rápidos.

Tudo isso só confirma que uma dieta única e ideal para todos é uma ideia ultrapassada e ignorante.

Como saber se o café e a cafeína são benéficos para você

Agora veja como ele afeta você:

– reduza seu consumo de café e outras fontes de cafeína lentamente até ficar completamente sem, por pelo menos 30 dias. Adicione-o novamente e veja como você responde. Se houver reações como taquicardia, perturbação de sono, ansiedade, fadiga e desconforto gástrico certamente você é um metabolizador lento da cafeína.

Para descobrir os seus dados genéticos, (sobre o gene CYP1A2) ainda vamos precisar esperar algum tempo, pois isso não está disponível no Brasil.

Em algum momento no futuro, poderemos criar recomendações nutricionais muito mais precisas com base em nosso genótipo e fatores epigenéticos, além de estado de saúde, estilo de vida, atividade física e objetivos. É aguardar pra ver essa revolução!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *