Menos Calorias, Menos Inflamação e Mais Juventude!

Quando se pensa em fazer dieta ou comer menos, a maioria das pessoas pensa em calorias… Se você me acompanha por aqui, certamente já ouviu falar do jejum intermitente. Trata-se de um período sem se alimentar, de forma controlada, que tem vários efeitos sobre a sua saúde, incluindo efeitos rejuvenescedores.

Só que não é somente isso. Há muito mais envolvido! Mas vamos por partes… Para tentar explicar como a restrição de calorias atua minimizando os efeitos o envelhecimento, pesquisadores do Salk Institute, nos Estados Unidos, em colaboração com cientistas chineses, compararam ratos que eram alimentados com uma dieta normal com outros que comiam 30% menos calorias.

Depois de cerca de 9 meses – o que para humanos equivaleria a cerca de 20 anos – foram coletadas e analisadas mais de 160.000 células desses animais. Elas eram de vários órgãos e tecidos: veias, músculos, fígado, rins etc. Então eles olharam bem a fundo… Nos genes dessas células. E sabe o que eles descobriram?

As calorias e a sua saúde

Na comparação, as células dos ratos com dietas de restrição de calorias tiveram menos mudanças do que os com alimentação convencional. Muitas dessas células ainda eram similares às de animais jovens. Resumindo: é como se os danos da idade os tivessem atingido muito menos!

Segundo os pesquisadores, as células e genes mais influenciadas eram as relacionadas à inflamação, imunidade e metabolismo de lipídios. Mas algo se destacou. Segundo Jing Qu, professor da Academia Chinesa de Ciências, “A principal descoberta no presente estudo é que o aumento da resposta inflamatória durante o envelhecimento pode ser sistematicamente reprimido pela restrição calórica”.

Levando em conta que a inflamação é o principal causador das doenças crônicas do mundo moderno, especialmente com o avanço da idade, a pesquisa torna-se de fato muito relevante. Mas, atenção: se você quer reduzir a ingestão de calorias, faça da forma correta!

O ideal é privilegiar o uso de gorduras boas na dieta, com proteína em moderação, agregando vegetais folhosos e restringindo carboidratos virtualmente a zero. Esses pilares da dieta keto, como é chamada hoje, reproduz a forma como nossos antepassados se alimentavam, tendo energia para longos períodos sem comida.

Portanto, você não é só o que você come. Tudo depende também da quantidade, da frequência e quais os ingredientes se ingere. Uma boa dieta é muito mais que comer menos. Trata-se de garantir a energia necessária por meio de nutrientes saudáveis. Só assim é possível comer menos calorias e ter uma Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

close-link
close-link