Saúde

Medicações podem Roubar sua Memória?

Se você está sentindo comprometimento cognitivo e da sua memória, ou tem um familiar que vem apresentando essas deteriorações mentais, talvez isso não seja uma consequência natural do envelhecimento como possa estar pensando.

De toda forma, convém que converse com o seu médico, pois certos     analgésicos, medicações para resfriados, insônia, depressão, pressão arterial, refluxo e até para Parkinson, podem estar roubando sua memória.

Recentemente mais uma publicação, agora na revista JAMA Internal Medicine, encontrou uma forte ligação entre a doença de Alzheimer e muitos medicamentos analgésicos comumente usados.

Outro estudo também publicado na mesma revista, há um pouco mais de tempo, mostra que tomar um simples analgésico por dia durante três a 12 meses aumenta o risco de demência em 19%. Já nos casos de uso constante num período de três anos, esses riscos aumentam em 54% .          

Muito dessas medicações, já é sabido, aumentam o risco de ataque cardíaco, derrame… E, agora, Alzheimer!

O motivo disso é que certas drogas podem bloquear a atividade da acetilcolina, um neurotransmissor envolvido diretamente no aprendizado e na memória.

Muitas vezes nos deparamos com pacientes idosos piorando sua parte mental e o primeiro raciocínio é que seja a progressão da doença, mas não podemos ignorar que isso possa ser causado por medicações sintomáticas.

Além disso, tem se observado uma correlação entre o uso de medicações anticolinérgicas e atrofia cerebral em idosos com função cognitiva normal, segundo uma análise da JAMA Neurology.            

Mas essas consequências desfavoráveis do uso de bloqueadores de acetilcolina não estão presentes só no uso de analgésicos, mas também em certas medicações para Parkinson, depressão, pressão arterial, insônia, resfriados e refluxo ácido.

Conforme você usa essas medicações, aos poucos a sua mente vai sentindo os efeitos da queda de acetilcolina, com aumento de confusão, perda de memória e redução das habilidades mentais.

A diferença é que na juventude, seu cérebro tem abundancia de acetilcolina, garantindo clareza mental e memória afiada.

Porém, conforme você envelhece, haverá naturalmente uma queda dos níveis de acetilcolina, já influindo na sua função cognitiva. Agora imagine com essas medicações…

Estimuladores cerebrais e de memória

O objetivo neste caso é promover o aumento dos níveis de acetilcolina com certos nutrientes como:

1.Colina. É um dos principais componentespara produzir acetilcolina, e os estudos mostram que sua suplementação melhora muito os testes de memória e desempenho cognitivo. Em termos alimentares, ingira proteína de animais criados a pasto, como carne vermelha, fígado bovino, laticínios e ovos.

A maioria dos estudos sugerem uma suplementação de pelo menos 500 mg de colina por dia para garantir níveis mais elevados ao cérebro e consequente estímulo da sua inteligência.

2. Fosfatidilserina. É um fosfolípide, presente no cérebro em altas concentrações, importante para função cognitiva. Sua deficiência compromete a clareza mental. As melhores fontes alimentares são carnes de órgãos de animais a pasto, de origem bovina ou frango, e em peixes como arenque e atum. Como é difícil ter níveis adequados através da dieta, os estudos sugerem uma suplementação de 100 mg 3 vezes ao dia.     

3. Acetil-L-carnitina. É um derivado da L-carnitina que desempenha um papel de manutenção da função nervosa e cerebral durante o envelhecimento. Esse derivado acetil é fonte metabólica da acetilcolina, um neurotransmissor cerebral. Estimula o fator de crescimento do nervo, uma proteína fundamental para o crescimento e manutenção dos neurônios.

Portanto promove aumento de fluxo cerebral e função mental. Os estudos sugerem, nos casos de comprometimento cognitivo leve, 500 mg diariamente, e em casos mais sérios como doença de Alzheimer, mostraram bons resultados com uso de no mínimo 500 mg 3 vezes por dia.

4. DMAE (Dimetilaminoetanol).  É um precursor da colina, agindo para aumentar os níveis de acetilcolina. Age promovendo função cognitiva saudável, melhora o humor, clareza mental e de memória. Também previne confusão e fog mental. Nos alimentos você pode obter DMAE em peixes selvagens como salmão e sardinha. Em casos de suplementação, os estudos comprovam benefícios com apenas 35 mg ao dia.

5. Gotu kola (Centella Asiatica). Fitoterápico usado na medicina Ayurvédica para melhorar a função cerebral, restaurando a função cognitiva. Estudos em animais e células mostram que a gotu kola pode estimular o crescimento das células cerebrais e desencadear o reparo delas quando danificadas.

A melhor opção são suplementos de gotu kola que contenham o máximo de componentes ativos, em especial os asiaticosides ou ácido asiático.

Encontra-se disponível em cápsulas. Segundo a literatura médica, a dosagem de 500 mg até 3 vezes ao dia apresenta bons resultados.

Portanto, converse com seu médico sobre os remédios que você toma. Dependendo do caso, eles podem prejudicar sua memória e sua mente!     

Referencias bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *