Saúde

Mais uma vez as Vitaminas são a Solução

Esta não é a primeira vez e nem será a última que a indústria farmacêutica cria um produto já disponível na natureza. Em breve, você terá ciência de uma “droga mágica” feita de vitaminas B comuns que podem proteger o cérebro da demência e até reverter os danos reais e visíveis causados por esta doença.

Estes danos frequentemente iniciam-se com um “encolhimento do cérebro”…

Isto acontece dentro do seu crânio, e está acontecendo neste minuto porque todos os nossos cérebros encolhem um pouco na medida em que envelhecemos. É normal, até certo ponto – mas já que um “encolhimento” mais rápido é frequentemente um sinal de advertência de uma demência iminente (ou já em andamento), você quer freá-la o quanto pode.

Eis que entram as vitaminas B, assim chamada “droga magica” atrás de um número crescente de estudos sobre a demência. Em um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade Oxford, pessoas da terceira idade com um impedimento cognitivo brando que receberam uma combinação de vitaminas B tiveram uma taxa de encolhimento 31% mais lento do que aquelas que receberam um placebo ao longo de dois anos. Um quarto dos pacientes que melhor responderam às vitaminas alcançaram uma taxa de encolhimento 53% mais lento.

Os pesquisadores dizem que as vitaminas também reduziram o nível de homocisteína, que produz a inflamação e que também foi ligado a várias outras condições (incluindo doenças cardíacas e câncer, que é a razão dela ser um dos melhores marcadores para a saúde geral).

E, aqueles que tiveram as maiores reduções das taxas de homocisteína graças às vitaminas B também desfrutaram as maiores reduções em velocidade de encolhimento.

Nada mal, até então… Mas espere, porque esta “droga” fica melhor ainda.

Em um estudo publicado recentemente, os pesquisadores relataram que as pessoas de terceira idade que receberam esta combinação de vitaminas B se saíram 70% melhor nos exames de memória do que aquelas que receberam placebos.

Agora, vencer o grupo do placebo é certamente uma razão para gabar-se. Mas alguns destes pacientes fizeram algo até mais impressionante que isto. Eles venceram a si próprias, até melhorando os seus escores nos exames pré vitaminas B. Em outras palavras…

Eles envelheceram, mas os seus cérebros melhoraram!

Como em outros estudos, este também mediu o volume cerebral, e, mais uma vez, os pesquisadores descobriram que aqueles que receberam as vitaminas B tiveram uma taxa mais lenta de encolhimento. Houve casos, aonde o encolhimento cerebral ficou mais lento em cerca de 500 %.

Tudo isto, devido a vitaminas B comuns.

E claro, a indústria das drogas está repetindo o velho refrão de que estes não são suplementos “comuns”. Não, eles querem que você acredite que estas vitaminas B comuns foram magicamente transformadas em uma droga potente e potencialmente perigosa.

Alegam que essa droga mágica age como uma droga farmacêutica e não como um suplemento nutricional e demandariam testes adicionais de segurança.

Droga farmacêutica? Testes de segurança? Pois é!

Isso não passa de uma tática de susto para que você não saia e compre essas vitaminas B por conta própria. Ao invés disto, a indústria farmacêutica quer que você espere pelas versões deles, patenteadas, serem aprovadas para que possam lhe cobrar o quanto desejarem para salvar o seu cérebro.

Mas você não tem de esperar por nenhuma destas “drogas” chegarem ao mercado…

Veja a “droga mágica” usada nos melhores e mais alentadores estudos:

  • Ácido fólico 800 microgramas
  • Vitamina B12 500 microgramas
  • Vitamina B6 20 miligramas

Pelo modo como os pesquisadores estão falando, você pensaria que estas são doses estratosféricas que você não consegue se não invadir um laboratório de pesquisas, ou pelo menos, sem combinar dezenas de pílulas.

Mas você descobrirá que elas estão bem abaixo do “limite superior” estabelecido pelos valores de segurança.

E estas são as quantidades recomendadas há anos, que as pessoas devem tomar para suportar um cérebro saudável, exatamente o que é necessário para manter você afiadíssimo, não importa quão velho (ou jovem) você é.

Realmente, uma excelente notícia!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *