Prevenção

Será que Você está com Deficiência de Magnésio?

Cada vez mais surgem novos medicamentos aprovados. E isso, para o entender de muita gente, é uma boa notícia.

Eles pensam: quanto mais drogas houver, mais vidas poderão ser salvas…

Com certeza alguns medicamentos salvam vidas, especialmente em situações agudas, de emergência. Mas muitos deles, quando usados cronicamente, fazem mais mal do que bem.

Segundo as estatísticas americanas, as prescrições de medicações são a terceira principal causa de morte neste país. Anualmente quase 3 milhões de pessoas nos Estados Unidos ficam gravemente doentes com seus medicamentos, que levam a aproximadamente 130.000 mortes/ano.

Novos pacientes muitas vezes vêm à minha clínica porque estão cansados ​​de receber uma nova droga para cada sintoma que têm.

Muitas vezes existem melhores soluções para manter a saúde, e o primeiro passo é uma correção alimentar.

Por incrível que pareça, apesar de muitos acharem que comem bem, ingerindo alimentos considerados saudáveis, super alimentos, na verdade não é o que acontece. A realidade é que vivemos com uma alimentação que deixa muito a desejar.

Graças às modernas técnicas agrícolas dos últimos 40 anos, cerca de 2 bilhões de hectares de solo, equivalente a uma área maior que a América e o México juntos, foram desprovidos de nutrientes vitais.

Com isso, cerca de 30% das terras cultiváveis ​​do mundo agora são consideradas improdutivas

É um contraste gritante do que os primeiros agricultores dispunham…

Nossos ancestrais primitivos seguiam os animais que caçavam, e com isso percorriam áreas onde as plantas silvestres cresciam em abundância.

Com uma recompensa tão rica, decidiram montar um acampamento. Eventualmente, eles notaram que se jogassem as sementes das plantas no chão, com o tempo elas cresceriam.

Porém, há cerca de 12.000 anos atrás, iniciava-se a Revolução Agrícola, aonde o solo ainda era repleto de nutrientes e as plantas continham como consequência riqueza nutritiva, com vitaminas, minerais e fitocompostos.

Esses elementos têm o poder de combater as doenças atuais, como câncer, doenças cardíacas, Alzheimer, osteoporose e diabetes.

Mas atualmente com os solos espoliados e a Agroindústria usando técnicas para colher o máximo de culturas pelo menor custo, acaba-se comprometendo o conteúdo nutricional das plantas.

Como consequência temos falta de nutrientes em nossa alimentação.

E hoje, um dos nutrientes mais carentes é o magnésio, resultado direto do nosso mundo moderno.

Há alguns anos, o Journal of American College of Nutrition publicou um estudo comparando o conteúdo de nutrientes das culturas em 1999 com os níveis de 1950.

Os pesquisadores ficaram chocados ao descobrir que muitos vegetais haviam perdido até 90% de seu teor de magnésio. Portanto, não é surpreendente que quase 90% das pessoas sejam deficientes em magnésio hoje em dia.

A importância do magnésio tem sido subestimada, só sendo associado à saúde dos ossos.

Mas, o magnésio é responsável por mais de 300 reações bioquímicas no corpo. E quando você não tem o suficiente, seu corpo pára de funcionar de forma eficiente. Seu sistema nervoso se torna lento, a inflamação silenciosa avança e seu coração pode apresentar arritmias.

De fato, pessoas com deficiência de magnésio correm maior risco de morrer de qualquer causa.

Como aumentar seus níveis de magnésio

Alimentação:

Dietas modernas são ricas em grãos refinados e açúcar. O processo de refino remove até 97% de magnésio do grão e 100% do açúcar. Mas o problema é mais profundo do que isso… Os açúcares e os grãos não apenas estimulam os rins a excretarem magnésio, eles realmente consomem nutrientes quando digeridos.

Por exemplo, para cada molécula de açúcar que comemos, nossos corpos usam 54 moléculas de magnésio para processá-la!

Para superar um déficit de magnésio, coma como os nossos ancestrais, que além dos vegetais colhidos de solo rico em minerais ingeriam bastantes carnes de órgãos, o que não ocorre atualmente.

Além disso, enfatize:

  • amêndoas, sementes de abóbora e cacau.
  • abacate e figo.
  • vegetais de folhas verdes, como espinafre, acelga e beterraba.

Suplementação de magnésio:

É sempre aconselhável associar um suplemento de magnésio, pela dificuldade de se atingir níveis ótimos desse mineral.

A maioria dos estudos científicos mostram benefícios em dosagens de 600 mg ao dia, em divididas doses.

Além disso, é sabido que a vitamina B6 promove aumento de absorção do magnésio intracelular.

O aconselhável é que converse com o seu médico para checar os seus níveis e buscar as melhores opções para o seu caso. Fique atento!

Referências bibliográficas:

  • “New PrescriptionDrugs: A Major Health Risk With Few Offsetting Advantages.”Harvard University Center for Ethics. June 27, 2014
  • Global Soil Degradation Report. GRID-Arendal
  • Pol Arch Med Wewn. 2014 Oct 30
  • Atherosclerosis. 2011 Nov
  • Int J Diabetes Clin Res. 2015
  • Magnes Res. 2004 Jun
  • J Am Coll Nutr. 2006 Dec

 

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *