Alimentação

Inhame: Comer ou Não?

O inhame, também conhecido como cará em algumas partes do Brasil, é um tubérculo muito apreciado nas culinárias regionais. É cultivado há muito tempo na América Latina, África, Ásia e Oceania – o nome “inhame”, por exemplo, vem de línguas do oeste africano, enquanto “cará” de línguas indígenas brasileiras.

O inhame contém bastante amido, mas mesmo assim possui muita fibra e carboidratos complexos. Isso faz dele uma opção “menos pior” de carboidrato, pois tem um índice glicêmico mais baixo.

É o mesmo caso da batata-doce, por exemplo, que é superior às batatas comuns, cheias de carboidratos simples e péssimas para sua dieta.

Vitaminas e minerais

O inhame possui boa quantidade de vitamina A, que é convertida em betacaroteno, ajudando na prevenção do câncer e em uma melhor saúde da visão. Além disso, possui vitamina C, o que é uma boa pedida se você quer evitar gripes e resfriados.

Também possui bastante vitamina B6, vitamina B1, riboflavina, niacina e os ácidos pantotênico e fólico. Dentre os minerais, os principais são:

  • Cálcio
  • Ferro
  • Potássio
  • Cobre
  • Manganês
  • Fósforo

Inhame e osteoporose

Um estudo ligou o consumo de inhame a possíveis benefícios para mulheres que sofrem com os sintomas da menopausa. A pesquisa observou que o tubérculo possui compostos conhecidos como saponinas.

Dentre elas, está a diosgenina, que poderia reduzir os riscos de osteoporose nesses casos. Porém, é importante deixar claro que essas pesquisas estão somente no início e foram feitas com espécies de inhames selvagens. Portanto, não há nada conclusivo…

Comer inhame ou não?

Bom, depois de tudo isso você deve estar se perguntando: afinal, deve-se colocar o inhame na alimentação ou não? Veja bem, como sempre digo, o ideal é que você reduza ao máximo sua ingestão de carboidratos.

A melhor dieta é aquela como a de nossos antepassados, com muita gordura animal natural, que faz bem para você, proteínas moderadas e muitas fibras e vegetais folhosos. Como o inhame é uma fonte rica em carboidratos, ele não se enquadra muito bem nessa dieta keto ou cetogênica.

Mas, se você ainda não mudou a sua alimentação – e eu aconselho que mude – assim como a batata-doce, ele é um pouco melhor que as batatas comuns, por exemplo. Fique atento às suas escolhas!

Referências bibliográfiacas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *