Frutas Secas: Comer ou Não?

As frutas secas ou desidratadas costumavam ser mais comuns nas festas de fim de ano. Hoje, porém, têm ganhado cada vez mais as prateleiras dos supermercados, sendo amplamente comercializadas. Mas será que são realmente boas para a sua saúde?

Em geral, são consideradas frutas secas aquelas que passam por um processo artificial de desidratação, ou seja, quase toda água da polpa é retirada. O tratamento faz com que durem muito mais tempo sem estragar, mesmo sem refrigeração. Por isso são comuns em países com invernos mais rigorosos, onde é mais difícil obter frutas frescas durante os períodos mais frios.

Em geral, essas frutas mantêm boa parte das fibras, vitaminas e minerais que tinham em seu estado natural. Obviamente, pela ausência de líquido, tudo fica mais concentrado. Se pensarmos pelo lado dos nutrientes, até parece uma boa ideia. Mas há um porém…

Frutas secas contêm a mesma quantidade de frutose

Pois é! Todo o teor de frutose do vegetal fica também concentrado, ou seja, perde-se a água, mas o açúcar continua todo lá. Por isso a fruta seca é ainda mais doce! É aí que mora o perigo…

Você certamente não conseguiria comer grande quantidade de bananas, maçãs ou outra fruta – ao natural – em apenas uma vez, não é mesmo? Mas como as frutas secas são bem menores, por causa da desidratação, muita gente exagera. Você pode nem sentir que está comendo tanto, mas estará ingerindo a mesma quantidade de açúcar!

Lembre-se que o recomendado por dia são 25 g de frutose no máximo. Para aqueles que já tem algum problema com a sensibilidade à insulina ou quer perder peso, esse número cai para 15 g. Só para ter uma ideia, uma maçã já tem, em média, 9,5 g. Imagine, então, comer várias maçãs desidratadas… Lembre-se que todos os açúcares ainda estão ali, concentrados!

Fiz um post especial sobre o assunto, onde comento a quantidade de frutose em diversas frutas. Você pode conferir clicando aqui. Outra dica interessante é usar as frutas em smoothies verdes. Os vegetais aumentam significativamente a quantidade de fibras, vitaminas e minerais, compensando a quantidade de frutose. Ainda assim, é preciso ter moderação na quantidade. Para ver algumas receitas, é só conferir aqui.

Portanto, tenha atenção às frutas, secas ou não. Para comer in natura, priorize o abacate, que contém pouca frutose e muita gordura boa, além daquelas com menos frutose, como limão, amora e framboesa. Essas são suas melhores opções para uma Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • Diabetes 1992 Jun; 41(6): 750-759.
  • Nutrition & Metabolism2013,10:45
  • Int J Sports Med. 2000 Jan;21(1):1-12.
  • Acta Physiol (Oxf). 2008 Jan;192(1):127-35.
  • Prog Biophys Mol Biol. 2004 Jan;84(1):1-27.
  • www.drrondo.com/lado-obscuro-limao/
  • www.drrondo.com/12-motivos-o-abacate-dieta/
  • ww.drrondo.com/beneficios-amora-saude/
  • www.drrondo.com/berries/
  • www.drrondo.com/dieta-keto-nao-tenha-medo-de-cetose/
  • Avocados Contain Potent Liver Protectants Science Daily. Dec 20, 2000
  • Lifeback.org   March 7, 2011
  • Avocados Rise to the Top,” Nutrition Week, June 25, 2001; 31(24):7.
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link