Estas Doenças Aumentam os Riscos da COVID-19 para o Cérebro

Enquanto o mundo luta contra a pandemia de COVID-19, os cientistas tentam entender mais sobre a doença.

Como ela é relativamente nova, as sequelas que pode causar em algumas pessoas – e porque elas ocorrem – ainda são motivo de discussão.

E quanto mais se souber sobre o assunto, melhores serão as formas de prevenção e tratamento.

Como temos visto, algumas pessoas não apresentam nenhum sintoma, enquanto outras evoluem para quadros graves…

Para os que se recuperam, também há muita incerteza. Em certos casos tudo volta ao normal, mas em outros há prejuízos para o organismo.

Uma das sequelas conhecidas até agora são as complicações neurológicas. Elas vão desde sangramento cerebral até derrames, algo bastante perigoso!

Mas será que alguns pacientes estão mais propensos a isso?

Segundo uma nova pesquisa, a resposta é sim.

E quando você souber o porquê, vai ter mais um motivo para adotar hábitos mais saudáveis o quanto antes!

COVID-19 e danos neurológicos

Em uma publicação recente, feita pela Radiological Society of North America, os pesquisadores comentam que embora sejam mais raras, as complicações do novo coronavírus para ao cérebro vem crescendo.

Eles avaliaram pessoas com COVID-19 que apresentavam alterações mentais ou déficits neurológicos, como dificuldade de fala e visão, para entender um pouco mais do processo.

Dos pacientes analisados, os que tiveram as maiores complicações no cérebro eram aqueles que tinham…

  • Diabetes tipo 2
  • Hipertensão arterial

O alerta dos pesquisadores é que essas pessoas – que, como se sabe, já estão no grupo de risco – devem ter ainda mais cuidado.

Afinal, elas parecem também estar mais propensas a terem problemas neurológicos, como esses sangramentos e derrames.

Proteja-se!

Este é mais um motivo para começar a prevenir a diabetes e controlar a sua hipertensão arterial.

Aliás, você já deveria fazer de qualquer forma, mesmo que a COVID-19 nem existisse. Veja algumas dicas:

Prevenindo a diabetes:

  • Corte os carboidratos e açúcares da alimentação. Prefira uma dieta keto, com muita gordura natural boa, proteína em moderação e vegetais folhosos em abundância.
  • Pratique atividades físicas regularmente, em especial o exercício supra-aeróbico. Veja aqui como fazer.

Prevenindo a hipertensão arterial:

  • Aqui, a dieta keto também pode ajudar. Adote-a o quanto antes.
  • Tome sol para produzir vitamina D. Sem ela seu corpo aumenta a produção de hormônio paratireóideo, que eleva a pressão sanguínea.
  • Aumente seu óxido nítrico, que atua relaxando os vasos sanguíneos e reduzindo a pressão. É algo possível também com exposição ao sol, atividade física e consumo de alimentos como beterraba, rúcula, ruibarbo, coentro, alface, manjericão e acelga.
  • Melhore sua flora intestinal, pois uma ecologia intestinal rica em bactérias boas faz com que os alimentos consumidos se convertam óxido nítrico, e não em nitrosaminas, componentes que acabam sendo prejudiciais à saúde.
  • Vinagre de maçã: melhora sua proporção sódio/potássio, atuando para uma pressão saudável.
  • Suplementos como magnésio e ômega 3 também ajudam bastante.

Agora é com você. Prevenir diabetes e hipertensão não é uma medida apenas para tempos de pandemia, mas para a vida toda.

Assim, só se ganha – em saúde e longevidade!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link