Saúde

Enxaqueca: Redução da Dor de Forma Surpreendente

Você que já teve ou tem enxaqueca, sabe que a dor de cabeça esmagadora, latejante, também está acompanhada de náuseas e vômitos intensos, sensibilidade ao som e à luz, alterações de humor, fog mental e dificuldade para dormir.

Isso não é privilégio só seu…

Quase todos os anos milhões de pessoas convivem com isso, e muitas vezes são deixadas de joelhos por alguma forma de dor de enxaqueca.

O conselho que você normalmente ouve é para se deitar em um quarto escuro e tomar um potente analgésico. Porém, essas medicações podem ter efeitos colaterais terríveis, incluindo pressão alta, tontura, batimentos cardíacos irregulares, alterações de humor e fala arrastada.

Mas os pesquisadores descobriram algo bem interessante: o mesmo suplemento que você toma para ter uma boa noite de sono também pode impedir a dor paralisante de uma enxaqueca.

Eu estou falando da melatonina.

A revista Headache publicou recentemente um estudo onde relatou que adultos com enxaqueca crônica apresentam, nos dias em que têm uma dor de cabeça, níveis de melatonina dramaticamente mais baixos em comparação com os dias sem crise.             

Isso vem de encontro com pesquisas anteriores que já confirmavam que baixos níveis de melatonina estão correlacionados com enxaquecas.

É o que também mostrou a revista Neurology, aonde o uso de 3 mg de melatonina reduziu em 50% o número de ataques de enxaqueca em mais de três quartos dos pacientes.        

E como é o mecanismo de ação da melatonina nestes casos?

São de duas formas:

1. Atua nos receptores opioides do cérebro aliviando a dor.

2. Efeitos anti-inflamatórios semelhantes aos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) como o ibuprofeno. Agem bloqueando a enzima COX-2, que produz substâncias químicas inflamatórias no corpo. Mas, a vantagem da melatonina, ao contrário dessas drogas, é que ela não tem efeitos colaterais porque não inibe a enzima COX-1, que protege o revestimento do estômago.  

Mas os benefícios da melatonina não param por aí, pois ela pode:

  • reduzir a pressão arterial
  • reparar a lesão cerebral após um AVC
  • acelerar a cicatrização de feridas
  • aliviar azia e úlceras gástricas
  • aumentar seu sistema imunológico
  • aliviar depressão
  •  induzir e melhorar a qualidade do sono
  • ação antioxidante
  • melhorar performance sexual

Qual dosagem os estudos indicam?

A dosagem mais adequada, segundo os estudos, é 3 mg, cerca de meia hora antes de deitar.

Muitas vezes se usam suplementos com 10 mg, o que é uma dosagem para muitas pessoas excessiva, e com isso ela pode não funcionar ou até levar a insônia.

Procure uma melatonina de uso sublingual, pois ela atinge sua corrente sanguínea mais rapidamente.

Outro suplemento que também pode ser interessante no caso das enxaquecas e até para melhoria do sono é o magnésio.

Estudos mostraram que 600 mg em divididas doses por dia reduzem a enxaqueca em até 41%.             

Nessas avaliações, as formas mais indicadas de magnésio foram: magnésio quelado, glicinato ou threonato.

Mas lembre-se que essas são somente as doses que mostraram resultados nas pesquisas. Antes de qualquer decisão, converse com o seu médico para que ele avalie o seu caso e indique a melhor solução para você.

Referencias bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *