Alimentação

Você Conhece e Usa o Endro?

O endro, ou aneto, é muitas vezes confundido com a erva-doce, com a qual é bem semelhante. Trata-se de uma erva aromática originária de regiões próximas ao Mar Mediterrâneo, em especial do Oriente Médio e Europa Oriental.

Desde a antiguidade ele é usado como erva medicinal por várias civilizações. Entram nessa lista egípcios, gregos e outros povos do oriente. Na culinária, seu uso hoje se espalhou pelo mundo, fazendo parte de pratos típicos de diversas nacionalidades.

Vitaminas e minerais

O endro fresco contém diversas vitaminas e minerais importantes para o bom funcionamento do seu organismo. As maiores concentrações são de vitamina A, importantíssima para a saúde da sua visão, e vitamina C, fundamental para várias funções do seu corpo e protetora contra gripes e resfriados. Também possui boas quantidades de cálcio, necessário para seus ossos, ferro e manganês.

Mas lembre-se: embora essas substâncias estejam relativamente bem concentradas no endro, não significa que ele sozinho é capaz de suprir suas necessidades diárias.

Para isso seria preciso ingerir uma enorme quantidade desse vegetal, o que não é o caso. O importante é ter esse conhecimento de como ele pode agregar mais saúde à sua dieta, combinado com outros alimentos.

Benefícios do endro

Pesquisas mostram alguns benefícios do endro, como:

  • Atividade antibacteriana: estudos comprovaram que o endro tem capacidade de combater bactérias como Staphylococcus aureus e Saccharomyces cerevisiae.
  • Pesquisadores russos elaboraram um composto a partir das sementes de endro que, segundo eles, apresentou ação anticâncer, inibindo a multiplicação de células cancerígenas.
  • Um estudo feito em animais concluiu que o endro possui substâncias chamadas monoterpenos que têm ação quimiopreventiva.
  • O óleo essencial de endro se mostrou eficaz agente antifúngico.
  • Na medicina popular, é bastante conhecido por propriedades digestivas e diuréticas.

E então? Uma ótima pedida é usar essa erva incrível em saladas ou mesmo em outros pratos. Além de um sabor diferenciado, você vai garantir uma boa dose de Supersaúde a todos!

Referências bibliográficas:

  • Singh, G.; Maurya, S.; Lampasona, M. P.; Catalan, C. (2005). “Chemical Constituents, Antimicrobial Investigations, and Antioxidative Potentials of Anethum graveolens L. Essential Oil and Acetone Extract: Part 52”. Journal of Food Science. 70 (4): M208–M215.
  • Delaquis, P. J.; Stanich, K.; Girard, B.; Mazza, G. (2002). “Antimicrobial activity of individual and mixed fractions of dill, cilantro, coriander and eucalyptus essential oils”. International Journal of Food Microbiology. 74 (1–2): 101–109.
  • Jirovetz, L.; Buchbauer, G.; Stoyanova, A. S.; Georgiev, E. V.; Damianova, S. T. (2003). “Composition, Quality Control, and Antimicrobial Activity of the Essential Oil of Long-Time Stored Dill (Anethum graveolens L.) Seeds from Bulgaria”. Journal of Agricultural and Food Chemistry. 51 (13): 3854–3857
  • J. Nat. Prod. 2016,  79, 5, 1429-1438
  • Planta Med. 1992 Aug;58(4):338-41.
  • PLoS One. 2012;7(1):e30147.
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *