Prevenção

Disfunção Mitocondrial: o Início do Diabetes

Quando se pensa no tratamento do diabetes tipo 2, logo vem em mente manter o açúcar no sangue sob controle, mas eu quero que você comece a enxergar algo tão importante quanto…

Cuidar das suas mitocôndrias.

Recentemente a ciência tem mostrado cada vez mais que a maioria das doenças crônicas e envelhecimento precoce estão ligadas ao declínio e disfunção mitocondrial.

Sabíamos que as mitocôndrias são as usinas geradoras de energia em todas as células do seu corpo, mas hoje temos muito mais informações sobre a saúde mitocondrial.

Como o comprometimento mitocondrial afeta o diabetes

No diabetes tipo 2, não há insulina suficiente ou suas células se tornaram resistentes a ela.

Com isso, seu corpo não consegue controlar sua glicemia e nem transformar o alimento em energia, sendo então esse excesso de açúcar transformado em deposito de gordura.

E é exatamente aí aonde suas mitocôndrias preparam o terreno para o diabetes, pois quem queima essa gordura armazenada, são elas: as mitocôndrias.

Se houver uma disfunção mitocondrial, você acaba aumentando o acúmulo de gordura e toxinas, comprometendo a capacidade de aceitar a insulina dentro das células.            

Esse processo contribui para a resistência à insulina, que é outra causa de açúcar elevado no sangue e obesidade.           

Quando você se alimenta, há uma elevação do açúcar no sangue, e na presença de mitocôndrias danificadas, não ocorre sinalização para queima desse açúcar sanguíneo, gerando níveis perigosos.     

É por isso que devemos intervir para recuperar a sua função mitocondrial, para que você possa prevenir ou tratar o diabetes tipo 2, estimulando a atividade da AMPK em suas células.

A AMPK é uma enzima muito importante em seu corpo que regenera o AMPc, fazendo com que você obtenha toda a energia possível. Sem ela você se torna cansado e letárgico.

Conforme envelhecemos, a AMPK tende a perder eficiência desencadeando dificuldade de manter as suas células saudáveis e cheio de energia.

Além disso, nesta condição haverá aumento de inflamação e toxinas celulares, causando danos às mitocôndrias existentes e gerando elevação dos níveis de açúcar no sangue e/ ou armazenamento como gordura.

Portanto, devemos estimular a atividade da AMPK para reverter isso.

Como aumentar a função mitocondrial

1. Treinamento de alta intensidade

É uma modalidade de HIIT, como a descrita no meu livro 20 Minutos e Emagreça. Através de atividade curta e intensa, promove depleção do glicogênio a energia em seus músculos, com isso ativando a AMPK..     

2. PQQ (pirroloquinolina quinona)

Aumenta suas mitocôndrias em “geradores de energia” em 55%. Age como um catalisador dentro de suas células, ajudando você a fazer novas mitocôndrias para produzir ainda mais energia.

Estudos de camundongos confirmam que o PQQ criou 55% a mais de mitocôndrias em apenas 8 semanas. Ele é centenas de vezes mais eficiente do que outros antioxidantes. Os estudos têm comprovado que o PQQ reduz a inflamação, melhora a função cerebral de alto nível, protege seu coração e melhora significativamente a qualidade e a duração do sono.

No caso dos diabéticos o PQQ também ajuda a diminuir a resistência à insulina e protege o DNA mitocondrial, que é bastante propenso a danos causados ​​por radicais livres e pró-oxidantes. Age sinergicamente com CoQ10, produzindo sozinho melhores resultados do que qualquer um desses nutrientes.

Os estudos sugerem de 10 a 20 mg por dia.

3. CoQ10

Tanto a CoQ10 como o PQQ são nutrientes fundamentais na saúde da mitocôndria, mas entre ambos, a CoQ10 ainda é a mais importante.

Também energiza suas células. É um potente antioxidante que neutraliza os radicais livres.

Cerca de 90% ou mais dos radicais livres são produzidos na mitocôndria, o que causará importante efeito negativo na saúde. Normalmente o corpo converte CoQ10 (também conhecida como ubiquinona) em ubiquinol, a forma reduzida, pois esta é mais absorvível e mais eficiente.

Essa conversão ocorre milhares de vezes a cada segundo dentro de sua mitocôndria – o “motor” de cada célula na qual a energia é produzida. Com o envelhecimento, começa a declinar a produção de CoQ10, tornando-se importante o uso desse suplemento, especialmente na forma de ubiquinol.

Com o envelhecimento, a sua capacidade de converter CoQ10 da ubiquinona em ubiquinol diminui. E no caso dos diabéticos a situação é pior ainda.

Para melhorar a sua absorção, consuma muitos vegetais de folhas verdes, que são carregados com clorofila, em combinação com a exposição ao sol. Além disso, o consumo de gordura saudável, como azeite de oliva, óleo de coco ou abacate pode ajudar. A literatura médica afirma que o consumo ideal é de 50 mg da forma ubiquinol de CoQ10.

4.Gynostemma pentaphyllum

Trata-se de um fitoterápico que promove aumento dos níveis de energia celular, perda de peso naturalmente, diminui o açúcar no sangue e melhora a sensibilidade à insulina. Pode ser usado na forma de chá ou em cápsulas.

Segundo os estudos, há bons resultados com dosagens de 125 mg 2x/ dia.

Portanto, é como sempre digo: a prevenção é a melhor medicina. Cuide-se agora e evite a diabetes no futuro. Você pode!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *