Dieta

Dieta Keto: Não Tenha Medo de Cetose

Quando se procura fazer um programa de emagrecimento, não é a quantidade de calorias que você consome que é mais importante, mas como seu corpo as utiliza. O que mais se comenta hoje em dia, é fazer uma dieta com pouco ou nenhum carboidrato. Isso permite que seu corpo entre em um estado de cetose.

Essa condição, na qual o seu corpo “decide” o que fazer com as calorias que você come, faz toda a diferença.

A dieta moderna, rica em carboidratos refinados, açúcares, grãos e frutose, faz com que o seu metabolismo gere energia baseado em carboidratos. E quando se muda para o modelo de queima de gordura, os resultados são surpreendentes em termos de saúde e de aparência.

Portanto, com essa dieta de carboidrato virtualmente zero, baseada na queima de gorduras, você acumula na corrente sanguínea moléculas chamadas cetonas.

E isso faz toda a diferença.

Algumas pessoas podem ficar assustadas, pois já podem ter ouvido de uma condição perigosa chamada cetoacidose diabética, que afeta pessoas com diabetes tipo 1.

Nessa situação de cetoacidose, os níveis de insulina ficam extremamente baixos, comprometendo o fluxo sanguíneo e o equilíbrio dos ácidos graxos.

Mas, veja:

Quando se faz uma dieta cetogênica, se produz de 1 a 8 mmol / l de cetonas.

Na cetoacidose diabética, há uma produção de mais de 20 mmol / l de cetonas.

Ou seja, a quantidade de cetonas que você produz quando está em estado de cetose é muito menor do que a produzida quando alguém está em um estado de cetoacidose diabética, que significa um diabetes descontrolado.

Já a algum tempo o assunto mais gerador de estudos científicos tem sido sobre os benéficos da cetose em diversas áreas da saúde humana. E neste último ano foi o assunto mais pesquisado por leigos que estão atrás de seus benefícios.

Com isso fica claro que a maré mudou. As pessoas não querem mais contar calorias e até os vigilantes do peso já estão revendo seus conceitos.

Para ilustrar alguns benefícios, veja o que dizem alguns desses estudos:

1. Em um deles, os participantes perderam uma média de 10 kg após 2,5 ciclos de uma dieta cetogênica. Além disso, a maioria manteve o peso após um ano.              

2. Em outro exemplo, aonde se concentrou nos efeitos a longo prazo de uma dieta cetogênica, os 83 pacientes avaliados eram obesos com altos níveis de glicose e colesterol. Conclusão após a dieta keto:

  • perda de uma quantidade substancial de peso e massa corporal,
  • melhora dos níveis de colesterol HDL               
  • redução significativa dos níveis de LDL, triglicerídeos e glicose sanguínea         

3. Dietas cetogênicas também foram associadas à redução do risco de doenças cardíacas, diabetes tipo 2, Alzheimer e doença de Parkinson.   

Para seguir a dieto keto, veja abaixo os pré-requisitos necessários…

Dieta Keto para criar cetonas de forma segura.

1. Alimentar-se numa janela nutricional de 8 horas/dia. Nas 16h restantes deve-se fazer jejum, e só ingerir água neste período

2. Associe uma dieta keto até que você possa criar cetonas. Para isso:

  • restringir carboidratos a virtualmente zero. As principais fontes de carboidratos que precisam ser cortadas são grãos e todas as formas de açúcar, incluindo frutas com alto teor de frutose. Legumes e vegetais folhosos, que também são carboidratos, mas ricos em fibras, podem ser consumidos sem restrições.
  • agregar gorduras saudáveis para que você fique entre 50 a 85% de suas calorias diárias com esse macronutriente. Como exemplos temos: abacates, óleo de coco, ômega-3 de origem animal de peixes gordurosos, manteiga, iogurte, nozes cruas, sementes, azeitonas e azeite, além de óleo MCT. Evite todas as gorduras trans e óleos vegetais poli-insaturados altamente refinados.
  • limite a proteína a uma grama/quilo de peso/dia. Esportistas e idosos, dobrar a quantidade. Como exemplo temos carnes, laticínios e ovos de animais criados a pasto. Não me refiro a gestantes, pois não aconselho usar esses protocolos nessa fase.

Essas medidas promoverão cetose, que é a garantia que o seu corpo está queimando gordura para combustível. Para confirmar isso, você pode usar um teste de cetose. O nível de cetonas no sangue deve ser mantido na faixa de 0,5 a 3,0 mmol / L .

3) Estando em cetose, comece a ciclicamente agregar carboidratos de volta, uma ou duas vezes por semana.

Essa alternância garantirá o máximo de benefícios biológicos da regeneração e renovação celular, enquanto minimiza as possíveis desvantagens da keto contínua.

Mas lembre-se, quando me refiro a carboidratos uma ou duas vezes por semana nesse estágio, esteja atento ao que é saudável e ao que não é. E tenha uma Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *