Comprovado: a Gordura Saturada da Carne Vermelha NÃO faz Mal

Nossa saúde é dependente da nutrição e da função de suas mitocôndrias. Elas são as pequenas usinas de cada célula, e quando estão funcionando bem, você tem saúde e energia em abundância. Caso contrário, certamente você estará não só sem disposição para nada, mas também acelerando o seu envelhecimento e predisposição a doenças degenerativas. E aqui, mais uma vez a carne vermelha pode ajudá-lo.

Ela auxilia a manter sua mitocôndria ativa, pois é rica em ácido esteárico. Mas isso só tem significado caso essa carne seja de animais criados a pasto, pois só assim terá altas concentrações desse elemento.

Até recentemente as recomendações eram para que se evitasse a carne vermelha, tanto é que de 1960 para cá seu consumo tem caído. Em 2014 foi quando se chegou aos níveis mais baixos desde então.   

Porém, a ciência tem mostrado que essas indicações estavam baseadas em interpretações confusas que deram um entendimento errado do assunto. Tanto é, que esses mesmos estudos reavaliados e novas análises confirmam a confusão, mostrando que a carne realmente é saudável.

Recentemente, os cientistas fizeram uma meta-análise gigantesca sobre os efeitos que uma maior ingestão de carne vermelha poderia ter sobre doenças cardiometabólicas e câncer em adultos.

Compararam dietas mais baixas em ingesta de carne vermelha com dietas mais ricas em carne. A conclusão dos autores foi de que:

“Dietas restritas à carne vermelha tem pouco ou nenhum efeito nos principais resultados cardiometabólicos, no diabetes, na mortalidade e incidência de câncer”.     

Esse resultado chocou a comunidade médica, pois mostra que a carne vermelha pode e deve fazer parte com segurança de um adequado plano nutricional. Portanto, aquelas recomendações antigas com o objetivo de limitar as gorduras saturadas, fica mais enfraquecida ainda.

Segundo um artigo recente da revista BMJ, contendo uma meta-análise de 17 revisões separadas, comprovou-se que essas gorduras, sejam de carne, queijo ou óleo de coco, não afetam a mortalidade.           

E que por algum acaso, se a carne vermelha causar doenças por algum mecanismo, certamente não é a gordura saturada, pois não há evidências cientificas que realmente possam apoiar isso.

Tanto é verdade que com essa redução de consumo de carne vermelha o que se observou é que, hoje, pelo menos dois terços da população sofrem de pelo menos uma doença crônica na qual a dieta é um fator de risco importante.

Carne de animal a pasto e ácido esteárico

Segundo uma análise da Universidade de Illinois, aonde comparou-se a concentração de ácido esteárico na carne vermelha do animal criado a pasto com a carne de animais confinados que só se alimentam com grãos, comprovou-se que o ácido esteárico saturado era 36% maior em carne de animais a pasto.   

Em um estudo publicado em 2018, os pesquisadores identificaram “o ácido esteárico como um metabólito da dieta que é detectado por nossos corpos para controlar nossas mitocôndrias”. Além disso, observaram queajuda a diminuir o risco de doenças cardiovasculares e câncer.

E mais, segundo estudo envolvendo moscas, os cientistas descobriram que os insetos tinham mitocôndrias saudáveis ​​quando apresentavam nível adequado de ácido esteárico. Porém, apresentavam comprometimento mitocondrial quando os níveis de ácidos graxos eram mantidos baixos.        

Referências bibliográficas:

  • Medical News Today.  January 25, 2017
  • Annals of Internal Medicine. October 1, 2019
  • Vox. October 4, 2019
  • Los Angeles Times. October 9, 2019
  • Nature Communications.  2018;9(3129)
  • Science Daily. July 28, 2015
  • Nature. 2015;525:124
  • The Weston A. Price Foundation. January 21, 2014
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link