Como um dos Temperos mais Comuns Protege sua Memória

Ninguém quer perder a memória. Aliás, não é só isso…

O maior medo das pessoas hoje em dia são as doenças neurodegenerativas, como o Parkinson e o Alzheimer.

As estimativas dão conta de que essa última é uma das condições mais temidas atualmente!

Para todos aqueles preocupados, é importante comentar que a prevenção é melhor medida.

Afinal de contas, quando os primeiros sintomas aparecem, é porque a doença já está instalada, e o máximo a fazer é tentar retardar seu avanço.

A opção mais correta é, portanto, evitar que ela apareça. De preferência, com alternativas naturais!

Mas o que comer para prevenir doenças neurodegenerativas e a perda de memória?

Segundo pesquisadores americanos, um tempero comum, usado pela maioria das pessoas, pode dar uma ajuda e tanto!

O tempero que protege sua memória

Ele é verdadeiramente um super alimento, já que tem incontáveis benefícios (que vou falar mais adiante).

Mas primeiro, precisamos entender por que ele ajuda a memória.

Bom, sem mais mistério, é hora da revelação.

Estou falando do alho, essa maravilha que deixa nossos alimentos mais saborosos e também muito mais saudáveis!

Uma pesquisa feita por cientistas da Universidade de Louisville, nos Estados Unidos, avaliou alguns ratos em idade avançada, comparando-os com ratos jovens.

Ambos receberam um extrato feito com alho.

Os pesquisadores observaram que os ratos mais velhos que receberam o composto mostraram melhor memória de longo e curto prazo, quando comparados aos que não receberam.

A memória espacial também foi prejudicada nos ratos de 24 meses que não receberam o alho.

A responsável pelo efeito, segundo os cientistas, é uma substância chamada sulfeto de alila, presente no vegetal.

Mas, como ela funciona?

O segredo está, de novo, nos intestinos!

Até agora falamos de alho e memória… O que isso teria a ver com os intestinos?

A resposta é simples: o sulfeto de alila promove uma ecologia intestinal saudável.

Pesquisas anteriores mostraram que o gene NDNF, presente no cérebro, tem importância para consolidação das memórias de curto e longo prazo.

Segundo o estudo que estamos comentando, os animais que receberam maior quantidade do composto de alho tinham níveis mais elevados de expressão do gene e… bactérias intestinais mais saudáveis!

A conexão, então, não é tão complicada. Os pesquisadores acreditam que ao melhorar as bactérias intestinais, o sulfeto de alila do alho atua diretamente prevenindo a perda de memória.

O Dr. Jyotirmaya Behera, um dos autores da pesquisa, resume:

“Nossas descobertas sugerem que a administração dietética de alho, contendo sulfeto de alila, pode ajudar a manter micro-organismos intestinais saudáveis ​​e melhorar a saúde cognitiva em idosos”.

Muito além do tempero

Mais uma vez o alho se mostra um dos melhores alimentos que existem.

Conforme já comentei por aqui, outros estudos já demonstraram que seus efeitos contra gripes e resfriados comuns são até melhores que os dos remédios.

Para saber mais, clique aqui e confira um artigo especial sobre essa proteção.

Além disso, o vegetal, especialmente pelo seu princípio ativo, o alicin, promove benefícios como:

  • redução do risco de doença cardíaca;
  • normalização do colesterol
  • ajuda na normalização da pressão;
  • combate bactérias (mesmo as resistentes a medicações);
  • protege contra vários tipos de câncer, como de pulmão, próstata e cérebro.

Portanto, a descoberta sobre a melhora para a ecologia intestinal e memória é apenas mais uma na longa lista de pontos positivos do alho.

A única indicação é que você o consumo fresco, esmagado na hora, para aproveitar melhor o princípio ativo.

Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link