Como se Recuperar no Pós-Covid

Estamos vivendo uma nova onda de contaminação pela Covid, sendo que no caso a cepa que está influindo é a ômicron.

Trata-se, como todos sabem, de uma cepa de alta contaminação, porém de baixa letalidade.

As manifestações de pós-infecção neste caso têm deixado as pessoas com queixas frequentes de cansaço intenso, infecções de repetição e queda de cabelo – e por incrível que pareça, mais intensa em mulheres do que em homens.

Além disso, há relatos de cefaleia residual e tosse que persiste por longos períodos, dores crônicas, comprometimento respiratório e, frequentemente, distúrbio de memória.

Ainda há o risco de desenvolvimento a médio e longo prazo de complicações cardíacas, pulmonares, neurológicas, hepáticas e renais.

Portanto, é o momento de agregar algumas mudanças benéficas no estilo de vida, alimentação e tratamentos que ajudem a minimizar essas agressões.

Para determinar as suas reais condições e necessidades, é importante a avaliação e acompanhamento do seu médico.

Existem exames específicos que podem ser de grande valia.

Não deixe isso para mais tarde, pois a situação tende a piorar, muitas vezes com sequelas irreversíveis. 

Agora vou pontuar o que pode ajudar:

Nutracêuticos 

Vitamina D

É fundamental otimizá-la quando se pensa em recuperação, pois essa vitamina combate as consequências da infecção respiratória, além de estimular o seu sistema imunológico.

N-Acetyl L-Cisteina

Estimula a produção de glutationa, a principal enzima antioxidante, além de diluir a secreção respiratória, reduzir a chance de influenza e o risco de bronquites severas.

Spirulina

Reduz o risco de influenza severa e da carga viral.

Glucosamina

Estimula a proteína antiviral a nível mitocondrial (MAVS) e reduz a severidade da infecção por influenza.

Selênio

Inibe a replicação viral, evitando que se forme algo mais agressivo e patogênico.

Zinco

Limita a replicação viral e tem ação efetiva na proliferação de várias células imunológicas.

Ácido Lipoico

Estimula a produção de interferon 1, que inibe a disseminação viral e modula a resposta imunológica inata. Além disso, tem efeito: 

  • anti-inflamatório
  • inibidor da produção de citoquinas
  • ativador do sistema imunológico

Resveratrol

Segundo Journal of Infections Diseases, o resveratrol tem poder inibitório da replicação do vírus da influenza, podendo ser considerado uma medicação extremamente valiosa.

Magnésio

Necessário para a correta função celular. Sua deficiência compromete a função metabólica e nutricional.

Ácido graxo essencial ômega 3

Apresenta alta ação anti-inflamatória, necessária devido aos nossos hábitos alimentares modernos – com a presença de gordura hidrogenada ou parcialmente hidrogenada, rica em ômega 6 – que causa importante efeito pró-inflamatório.

A melhor fonte de ômega 3 é a suplementação com krill oil, pela sua pureza, ou  ômega 3 ultra filtrado.

Muito presente nos salmões, sardinhas ou anchovas.

Cogumelos

Estimulam a imunidade e combatem o vírus. 

Aumentam o número de anticorpos e células T, combatendo as células infectadas com o vírus.

Contém polissacarídeos com ação antiviral e anti-inflamatória.

Suprimem replicação de vírus sincicial respiratório.

Estimulam imunidade inata.

Reduzem em 75% eventos gripais, pela presença de beta glucan.

Melhoram infecções respiratórias.

Aliviam influenza (H1N1, H3N2, H5N1).

Cordyceps

Este cogumelo merece atenção especial, pois tem ação: 

  • Anti-inflamatória
  • Aumenta a oxigenação tecidual
  • É um importante suporte respiratório
  • Fortalece o sistema imunológico

Além disso, tem outras funções bem importantes que você pode conhecer lendo esse artigo especial

Alimentação

Ação anti-inflamatória

Consuma uma maior quantidade de vegetais, de preferência orgânicos e crus, pois apresentam ação anti-inflamatória.

Alimentos fermentados (kefir, natto, picles, azeitona e iogurte). Agem como anti-inflamatório e reparam a flora intestinal.

Enfatize a ingesta de ácido graxos essenciais ômega 3, como salmão, sardinha ou anchovas. Além disso, carne de animal à pasto, pois todos eles apresentam ação anti-inflamatória.

Ação pró-inflamatória

Evite vegetais ricos em lectina, pois pioram a inflamação e doenças autoimunes. Só consumi-los se forem colocados em imersão na água por algum tempo ou cozidos.

Eliminar óleos vegetais (óleos de sementes) hidrogenados ou parcialmente hidrogenados, pela ação pró-inflamatória.

Treino Supra Aeróbico

O coronavírus pode comprometer o seu pulmão, portanto deve-se aumentar as suas defesas para doenças respiratórias e fortalecer os seus pulmões.

Sem força pulmonar, o risco de baixa oxigenação em cada célula, tecido e órgão pode aumentar, causando:

  • falta de vitalidade
  • respiração curta
  • queda imunológica
  • aumento de risco de outras doenças sérias como câncer, doença pulmonar obstrutiva, fibrose pulmonar etc. 

Portanto, é aconselhável o exercício supra aeróbico, que é uma forma rápida de recuperar a sua força pulmonar e aumentar a capacidade de captação do oxigênio.

Para saber mais sobre esse exercício, veja o meu livro 20 Minutos e Emagreça ou leia esse artigo especial.

Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *