Como o Óleo de Soja pode Prejudicar o seu Cérebro

É até cansativo… Continuamos falando sobre os problemas do óleo de soja e mesmo assim muita gente persiste no erro de utilizá-lo. Aliás, não sou eu quem está falando… É a ciência que dia após dia comprova os malefícios desses óleo-problema que habita as cozinhas de casas e restaurantes!

Quer ver só? Se eu te disser que cientistas comprovaram que o óleo de soja pode causar mudanças genéticas que afetam o cérebro, você acreditaria? Ou acharia apenas uma notícia alarmista? Então, sinto informar que esta é a mais pura verdade!

Pesquisadores da Universidade da Califórnia – Riverside alimentaram ratos com 3 tipos diferentes de óleo: óleo de soja comum, óleo de soja modificado para ter menos ácido linoleico e óleo de coco. Os resultados foram assustadores…

Eles descobriram que foram afetados nada mais nada menos que 100 genes dos ratinhos que consumiram óleo de soja. Essas mudanças afetavam áreas do cérebro, como o hipotálamo, responsável por regular o metabolismo, temperatura corporal e resposta ao estresse. Para se ter uma ideia, os animais que receberam o óleo de soja estavam com níveis de oxitocina mais baixos do que os que receberam óleo de coco.

A descoberta, na prática, nos diz: não são apenas os problemas cardiovasculares, obesidade e disfunções metabólicas que podem ser causados pelo óleo de soja. Ao afetar genes que controlam funções importantes do cérebro, há a possibilidade dele influenciar condições como autismo, depressão, ansiedade, Alzheimer e Parkinson!

Diga não ao óleo de soja!

Os pesquisadores são, como sempre, cautelosos, e dizem que não se pode bater o martelo e considerar o óleo como causador direto dessas doenças. Porém, o recado deles é claro: você deve reduzir o seu consumo de óleo de soja. E eu digo mais: você precisa bani-lo da sua vida de uma vez por todas!

Então, qual óleo usar? A própria pesquisa já respondeu a questão. Lembra que a comparação foi feita entre ratos que usaram óleo de soja com outros aos quais foi fornecido óleo de coco? Pois é… Este último grupo não demonstrou as mesmas alterações genéticas!

Acho que isso já responde suas dúvidas. Se quiser saber um pouco mais sobre o óleo de coco, basta clicar aqui e conferir uma lista de artigos sobre o assunto. Você pode também informar-se no meu livro “Óleo de coco: a gordura que pode salvar sua vida”. Com uma mudança simples, é possível se proteger de doenças, ganhar em energia e emagrecimento. Pode apostar!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link