Como a Pandemia está Alterando nosso Sono

Desde o início dessa pandemia e o consequente isolamento social, venho comentando por aqui sobre as alterações no sono a que muitos estão sujeitos. O momento de mudança de rotina, aumento de preocupação e de estresse tem deixado as pessoas de todas as idades com dificuldades para dormir.

Diversos estudos vêm mostrando o agravamento desse problema, e agora duas novas pesquisas fazem uma análise com dados dos Estados Unidos e da Europa.

No estudo europeu, cientistas do Centro de Cronobiologia da Universidade de Basel, na Suíça, avaliaram como os momentos mais rígidos de lockdown interferiram no sono da população daquele país. Além disso, foram avaliadas Alemanha e Áustria.

Segundo esses pesquisadores, foi possível notar que na medida em que as pessoas desses países passaram a trabalhar em casa, sua percepção da qualidade do sono piorou. Muitas delas, sem atividades, passaram também a dormir durante o dia em alguns momentos.

O que se concluiu foi que se passou a dormir, em média, 15 minutos a mais durante a noite. Mas isso não se converteu em qualidade do sono. Pelo contrário, nas palavras dos pesquisadores, houve uma incompatibilidade entre o horário social e o biológico do despertar. Segundo a pesquisadora do sono e neurocientista Christine Blume, uma das autoras do estudo:

“Acreditamos que a carga percebida, que aumentou substancialmente durante o lockdown sem precedentes do COVID-19, pode ter superado os efeitos benéficos de um jetlag social reduzido”.

O que mostrou a pesquisa americana sobre sono e pandemia

Já do outro lado do oceano, pesquisadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, avaliaram universitários que passaram a ter aulas online, ao invés das presenciais. Foram avaliados 139 estudantes. O estudo concluiu que:

  • Nos dias de semana, eles passaram a dormir cerca de 30 minutos a mais por noite;
  • Nos fins de semana, o número caía para 24 minutos a mais por noite.

Os pesquisadores também notaram um dado interessante. Universitários que, antes da pandemia, tendiam a dormir menos, foram os que tiveram maior aumento de tempo de sono durante o isolamento.

Segundo os cientistas, essas medidas podem até ser consideradas boas, pois demonstram que é possível mudar nossos hábitos de sono para melhor. Infelizmente, esses jovens só conseguiram fazer isso “forçados” pelo isolamento. Mas trata-se de um indicador importante de que é possível mudar sua disciplina para ter impactos no tempo de sono.

Assim, temos, é claro, os efeitos negativos, mas há também algumas melhoras pontuais. A Dra. Blume resume bem a situação:

“Não é de surpreender que essa situação sem precedentes da pandemia e do lockdown aumentasse a carga percebida e tivesse efeitos adversos na qualidade do sono. Em uma nota positiva, porém, o relaxamento das agendas sociais também levou a um alinhamento aprimorado entre fatores externos ou sociais que determinam nosso tempo de vigília e os sinais biológicos internos do corpo. Isso também foi associado a mais sono em geral”.

Cuide do seu sono, mesmo em tempos de pandemia!

Todos sabemos que são tempos incertos e preocupantes, e ter que permanecer por períodos prolongados em casa pode ser difícil para alguns. Até mesmo o home office tem provocado essas mudanças.

Um dado importante, já mostrado por pesquisas anteriores, é que tem aumentado muito o tempo de uso de computadores, tablets e smartphones. Seja por trabalho ou entretenimento – já que atividades ao ar livre nem sempre são possíveis – as pessoas estão mais horas do dia na frente dessas telas.

Como você já deve saber, o excesso dessa emissão de luz artificial próxima de nosso rosto é algo prejudicial para nossa percepção luz / escuridão, que é o que regula o sono.

Trata-se de um problema recorrente do mundo moderno. Mas com o isolamento, ele tende a aumentar na medida em que passamos mais tempo usando esses eletrônicos. Portanto, evitar esse excesso, se possível, é uma dica valiosa para um sono melhor. Cuide-se! Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • Luz Azul Artificial: Nossa Nova Inimigawww.DrRondo.com
  • Dormir com Luz no Quarto Aumenta Risco de Obesidade em Mulhereswww.DrRondo.com
  • Christine Blume, Marlene H. Schmidt, Christian Cajochen. Effects of the COVID-19 lockdown on human sleep and rest-activity rhythms. Current Biology, 2020; DOI: 10.1016/j.cub.2020.06.021
  • Kenneth P. Wright, Sabrina K. Linton, Dana Withrow, Leandro Casiraghi, Shannon M. Lanza, Horacio de la Iglesia, Celine Vetter, Christopher M. Depner. Sleep in University Students Prior to and During COVID-19 Stay-at-Home Orders. Current Biology, 2020; DOI: 10.1016/j.cub.2020.06.022
  • Michelle A. Short, Stephen A. Booth, Omar Omar, Linda Ostlundh, Teresa Arora. The relationship between sleep duration and mood in adolescents: A systematic review and meta-analysis. Sleep Medicine Reviews, 2020; 52: 101311 DOI: 10.1016/j.smrv.2020.101311
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link