Alimentação

Cadê os Nutrientes da Nossa Comida?

Quando alguém comenta que seus avós estão fortes e com muita saúde, muitas vezes sem remédios, sempre vejo como isso acaba contrastando com os adultos jovens de hoje.

Você já deve ter percebido que a imensa maioria é movida a remédios. Tanto é que, em média, um indivíduo após os 40 anos faz uso de 1 a 4 remédios por dia, segundo estatísticas.

Muitos ainda acreditam que poderão viver muito mais do que seus avós saudáveis. Mas, de novo segundo as estatísticas, especialmente nessas últimas 3 avaliações, já tem se mostrado uma redução da expectativa de vida.

Vários fatores podem estar influindo nisso, como qualidade de vida, estresse, meio ambiente poluído… Mas hoje eu vou me ater a nossa qualidade nutricional, que parece estar falida.

A comida cultivada pelos meus avós foi DUAS vezes mais nutritiva que as colheitas de hoje.

Esses são dados de um estudo de referência, aonde o pesquisador Donald Davis rastreou o conteúdo de nutrientes de 43 frutas e vegetais diferentes de 1950 a 1999.

É chocante o resultado…

Ele confirmou a realidade de que a comida vendida nas prateleiras dos supermercados é nutricionalmente falida.

Cada um de nós precisaria comer pelo menos 10 porções de legumes hoje para igualar apenas uma porção de 50 anos atrás!

Veja a perda dos valores nutricionais, segundo referencias da USDA para produtos atuais:

  • Maçãs: queda de 41% de vitamina A 
  • Pimentão: caiu em 31% a vitamina C
  • Agrião: reduziu 88% do ferro
  • Brócolis: 50% de queda do cálcio e vitamina A 
  • Couve-flor: redução de 45% de vitamina C, 48% de vitamina B1 e 47% de vitamina B2
  • Couve: a vitamina A está abaixo de 45%; o potássio está abaixo de 60%; e magnésio caiu 85%

E por que isso?

Infelizmente, a produção atual, que tem por objetivo rapidez de produção e o máximo de quantidade no menor tempo possível.

As técnicas agrícolas modernas, orientadas para o lucro, espoliaram o solo e tornaram improdutivas 30% das terras cultiváveis ​​do mundo.    

Essa queda nutricional nos alimentos está causando uma crise de saúde no planeta. Tem aparecido doenças modernas que nunca afetaram nossos ancestrais, como diabetes, doenças cardíacas, câncer e demência, que estão diretamente ligadas a baixos níveis de nutrientes.

Um estudo americano de 2017 descobriu que mais de 30% dos indivíduos estão em risco, pois não tem às suas necessidades nutricionais mais básicas atendidas.         

O que fazer com relação à nossa comida?

Para obter o máximo de nutrientes de suas frutas e vegetais, é aconselhável:

Produtos orgânicos

De preferência cultivados em regiões próximas e que não requeiram ser transportados por longas distâncias. Produtos locais podem amadurecer naturalmente, enquanto alimentos que viajam longas distâncias são colhidos antes de amadurecerem. Os estudos mostram que vitaminas, fitoquímicos, antioxidantes e muitos outros nutrientes importantes diminuem à medida que o alimento deixa de ser fresco.

Gorduras naturais saudáveis

Adicione gorduras saudáveis, pois só assim o seu corpo absorverá os nutrientes da sua salada ou legumes.

Isso ficou provado por um estudo realizado por Pesquisadores da Universidade Estadual de Iowa, aonde fizeram os alunos comerem verduras e tomates com molho com pouca gordura, molho sem gordura ou azeite de oliva. Foram coletadas amostras de sangue antes e após cada refeição.

A conclusão é que as pessoas que comiam sem gordura ou com baixo teor de gordura não absorviam os carotenoides benéficos da salada. Somente quando eles tinham comido o molho à base de óleo obtinham os nutrientes.

Portanto, além de azeite, você pode usar óleo de coco, óleo de abacate, óleo de noz e óleo de semente de uva.

Cozimento de vegetais

É um mito que comer vegetais crus é sempre mais saudável. Depende da comida. Alguns produtos são mais nutritivos não cozidos, enquanto outros tipos precisam de calor para extrair seus nutrientes. Por exemplo, para liberar o licopeno antioxidante, os tomates precisam ser aquecidos, sendo que nesta condição esse nutriente se torna 4 vezes mais absorvível.

Legumes que são melhores cozidos incluem aspargos, cenouras, cogumelos, espinafre e tomate. Já no caso da couve, cozinhar e ferver destrói as vitaminas B e C.

Com nossa comida cada vez menos nutritiva, precisamos nos informar e ficar ainda mais atentos ao nosso prato. Essa é uma questão importantíssima para se manter uma Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • J Am Coll Nutr. 2004;23(6):669-682.
  • Nutrients. 2017;9(7):655.
  • Iowa State University. Researcher finds further evidence that fats and oils help to unlock full nutritional benefits of veggies. https://www.news.iastate.edu/news/2017/10/09/saladvegetablesandoil. Accessed on December 13, 2018.
  • Muito Além dos Superalimentos: Mude sua Vida com supernutrientes. Dr. Wilson Rondó Jr.
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *