Bem-Estar

Burnout: o Nome da Moda para o Esgotamento Total

Burnout é uma daquelas palavras que podem ser difíceis de definir, mas emprestadas de um ditado popular: “Sabemos quando sentimos isso”.

Uma das melhores definições que eu já vi é que o burnout é uma combinação de exaustão, descrédito e ineficiência.

Ou seja…

Exaustão é muitas vezes o resultado de trabalhar longas horas em um ambiente agitado. É algo que está se tornando um problema cada vez mais difundido, afetando pessoas de todas as classes sociais, promovido pelas mudanças que ocorrem no ambiente de trabalho moderno e pelas cobranças aumentadas.

Apresenta-se com exaustão física, sinalizada por fadiga crônica, insônia, esquecimento, dificuldade de concentração, desatenção, doença física e perda de apetite.

Descrédito surge de uma sensação de impotência, de cumprir as métricas de desempenho profissional gerando grandes doses de incertezas e ansiedade.

Manifesta exaustão emocional, “sensação de colapso interno”, perda de perspectiva, desapego, irritabilidade e raiva frequente.

Ineficiência é o resultado da incapacidade de produzir resultados gerando perda de auto-estima, sentimentos de inutilidade e fracasso. Além disso, apatia, pessimismo e infelicidade.

Então, qual é o antídoto para o burnout?

Se simplesmente invertermos os três aspectos do burnout listados acima, obtemos:

Engajamento entusiasta, que vem de estar ligado ao senso de paixão e propósito que você buscou quando seguiu uma carreira profissional.

Otimismo, que é o resultado natural de sentir que você está atingindo suas métricas profissionais e pessoais.

Eficiência, que vem do alto nível profissional e pessoal, enquanto trabalha menos e tem mais tempo para outras atividades.

Soa muito bem, certo? Então, por que ninguém está fazendo isso?

Para evitar ou se recuperar do esgotamento equilibrando sua vida, 4 pilares são básicos:

– Vida física. Pratique exercícios, especialmente o supra aeróbico, que otimiza a função mitocondrial e limita a inflamação. Além disso, recupera seus neurotransmissores, dopamina, serotonina e acetilcolina.

Procure fazer uma alimentação saudável de acordo com o seu tipo metabólico, mantendo a maior eficiência de aproveitamento dos macronutrientes.

Tenha sono de qualidade. A privação do sono compromete a sua capacidade de lidar com o estresse. Trate esse tempo como algo sagrado.

Vida espiritual. Tenha alguma forma de prática espiritual.

– Vida de trabalho. Procure trabalhar de acordo com sua personalidade e com significado de propósito profissional.

– Vida de relacionamento. Tenha tempo para família e contatos sociais, hobby ou trabalho voluntário.

Em suma, recuperar-se do esgotamento, o burnout (ou evitá-lo em primeiro lugar) resume-se a encontrar e manter um equilíbrio entre sua vida profissional, atividades físicas, relacionamentos e espiritualidade.

E não sacrifique sua saúde em busca de sucesso, pois assim estará realmente pagando um preço insanamente alto. O resultado desse sacrifício inclui tudo, desde diabetes a doenças cardíacas, e outras condições relacionadas ao estresse, como depressão, alcoolismo ou dependência de drogas.

Manter-se saudável está em primeiro lugar!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *