BPA e BPS podem estar Aumentado os Sintomas de Asma nas Crianças

O bisfenol-A, ou BPA, e o bisfenol-S, ou BPS, como são mais conhecidos, são dois grandes problemas que enfrentamos por causa dos produtos sintéticos. Trata-se de moléculas presentes em embalagens, produtos plásticos e até latas, causando grandes prejuízos à saúde.

Ao entrar em nosso organismo, elas agem como falsos hormônios, imitando o estrogênio. Assim, se ligam aos receptores hormonais e acabam desbalanceado o equilíbrio dessas substâncias no corpo. E as consequências não são nada favoráveis. Estamos falando de problemas como:

  • obesidade
  • diabetes
  • pressão alta
  • doença cardíaca
  • mudanças comportamentais
  • asma
  • redução de capacidade pulmonar
  • câncer de mama, pulmão, testículos e próstata

Hoje, o BPA e o BPS já são proibidos em muitos lugares, mas para se ter ideia, até certo tempo atrás estavam presentes mesmo em mamadeiras. Porém, depois de pesquisas confirmarem seus danos ao desenvolvimento infantil, como indução de seios em meninos e puberdade precoce em meninas, isso não ocorre mais.

O problema é que ainda assim há muitos produtos que os contêm. E mais: há locais que proibiram o BPA, mas não o BPS, por exemplo. Assim os fabricantes simplesmente substituem um pelo outro.

Além disso, eles podem estar na água, ar e outros materiais presentes no nosso dia a dia. O contato pode não ser mais tão direto, mas acaba acontecendo de qualquer forma.

BPA e asma em crianças

Agora, um novo estudo da Johns Hopkins University Bloomberg School of Public Health traz uma novidade nada animadora sobre o assunto. Os pesquisadores descobriram que o BPA e o BPS podem estar por trás também de piora do quadro de outra doença: a asma. O efeito, segundo a pesquisa, ocorreria principalmente em meninos.

Foram avaliadas, ao todo, 148 crianças asmáticas com idades entre 5 e 17 anos. 85 eram meninos, e, 63, meninas. Elas foram avaliadas por médicos durante um ano, a cada 3 meses. Nesse período os responsáveis também tinham que responder questionários sobre seu estado de saúde.

Para se ter uma ideia, as amostras de urina de todas as crianças continham o BPA. O BPS, por sua vez, variava, mas mesmo assim foi bastante encontrado. Ao cruzarem os dados de saúde com a presença desses xenoestrógenos, os pesquisadores constataram que:

  • As crianças que tinham BPS na urina tinham 40% mais chance de ter tido tosse, chiado ou aperto no peito nas duas semanas anteriores à coleta;
  • Elas também tinham maior risco de precisarem ir ao pronto-socorro nos 3 meses anteriores.

Não é a primeira vez que o BPA e químicos análogos são relacionados à asma. Estudos anteriores já mostravam que crianças expostas a esse tipo de produto tem maior risco de desenvolverem a doença.

O que a nova pesquisa mostra é que não é apenas isso… As crianças que já têm asma podem ter seu estado de saúde piorado ao ficarem expostas ao BPA e ao BPS. Portanto, este é mais um motivo para você evitar esses produtos em sua casa.

Lembre-se que mesmo as embalagens com rótulo “BPA-free” podem conter o BPS ou outros similares em substituição. Fique de olho especialmente em plásticos que tem código de reciclagem de “3” ou “7”, pois eles podem conter o BPA.

A melhor dica para se proteger é a mais simples de todas: evite ao máximo alimentos industrializados empacotados. Consuma produtos naturais, comida de verdade Ela geralmente não precisa ficar embalada em plásticos ou latas, além de não conter conservantes e outros químicos prejudiciais. Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • Environmental Research January 2006, Vol 100, Issue 1, Pag 50-76
  • Am J Epidemiol. 2013 Jun 1;177(11):1263-70.
  • JAMA. 2011 Nov 23;306(20):2218-20.
  • Molecular and Cellular Endocrinology Dec 2014, Vol 398, Issues 1-2, Pages 101-113
  • Journal of Exposure Science & Environmental Epidemiology Sep 23, 2015
  • Environmental Health Perspectives June 19, 2015
  • Obesity Research & Clinical Practice September 14, 2015
  • The Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism March 5, 2015
  • Lesliam Quirós-Alcalá, Nadia N. Hansel, Meredith McCormack, Antonia M. Calafat, Xiaoyun Ye, Roger D. Peng, Elizabeth C. Matsui. Exposure to bisphenols and asthma morbidity among low-income urban children with asthma. Journal of Allergy and Clinical Immunology, 2020; DOI: 10.1016/j.jaci.2020.05.031
  • Embalagens Sem BPA: Dá para Confiar?www.DrRondo.com
  • Convivendo com o Perigo dos Plásticos: BPA e BPSwww.DrRondo.com
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link