As Melhores Resoluções de Ano Novo Segundo a Ciência

Toda virada é a mesma coisa…

Cada um faz a sua resolução de Ano Novo, prometendo mudar atitudes e buscar objetivos.

Mas será que elas realmente conseguem? Ou colocam metas inatingíveis, acabando frustradas quando não as alcançam?

Possivelmente você já passou por isso e não quer passar de novo.

A boa notícia é que a ciência tem algumas respostas sobre como fazer resoluções que não nos frustram, mas, pelo contrário, causam sensação de bem-estar.

Como sabemos, sentir-se bem também é um fator importante para uma mente e um corpo saudáveis.

Então, veja…

Ajudar o próximo

Segundo pesquisadores comportamentais da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, a melhor forma de evitar a frustação é refletir bastante antes de prometer algo para si mesmo.

Antes de simplesmente dizer que quer emagrecer, mudar de emprego ou melhorar seus relacionamentos, por exemplo, o ideal é refletir sobre como e porque fazer essas mudanças.

Quando a resolução se torna um ato bem pensado, que se internaliza com consciência, torna-se realmente algo bom.

E nem precisa ser feito apenas no Ano Novo. A qualquer momento pode-se pensar em mudar…

Mas o Dr. Richard Ryan, que é psicólogo clínico e professor da Universidade de Rochester, tem outra dica…

Fazer resoluções que envolvem ajudar as outras pessoas.

Mas, por quê?

Veja, isso não é algo que o Dr. Ryan simplesmente inventou… É o que mostra anos de pesquisas na área comportamental.

Ele criou o que chama de “teoria da autodeterminação”, segundo a qual temos as seguintes necessidades psicológicas básicas: autonomia, competência e relacionamento.

Isso significa que nosso bem-estar, segundo o Dr. Ryan, está bastante ligado a se envolver com atividades nas quais vemos valor, nos sentirmos úteis e conectados às pessoas.

Se você deseja fazer uma resolução de Ano Novo que realmente o deixe feliz, pense em maneiras de contribuir com o mundo. Todas essas três necessidades básicas são atendidas. A pesquisa mostra que não é bom apenas para o mundo, mas também é muito bom para você.”, comenta o Dr. Ryan.

Ter mais esperança

Um estudo feito no Reino Unido tentava entender por que algumas pessoas tendiam a buscar comportamentos de risco, como o excesso de comida ou bebidas ou o uso de drogas.

Para isso, os pesquisadores analisaram a “privação relativa”, aquela sensação de que as outras pessoas estão melhores do que você na vida.

É a famosa história da grama do vizinho parecer sempre mais verde…

Pois bem, eles fizeram um questionário com voluntários para medir suas sensações de privação relativa.

Depois, eles foram expostos a jogos onde tinham que fazer apostas…

A conclusão foi de que mesmo aqueles que tinham alta pontuação de privação relativa se expunham menos aos comportamentos arriscados quanto apresentavam um sentimento especial…

A esperança!

Sim, os questionários mostraram que alguns desses voluntários demonstravam ter bastante esperança de que o futuro ia ser melhor.

Então, mesmo quando estavam achando que sua vida não estava tão boa quanto a dos outros ao seu redor, eles eram menos propensos a atividades prejudiciais por serem esperançosos!

Então, fica mais essa dica…

Sabemos que esse ano teve muitos desafios, então, que tal fazer a resolução de ter mais esperança para este Ano Novo?

Você vai se sentir melhor e ver os reflexos positivos na sua Supersaúde!

Feliz Ano Novo!

Referências bibliográficas:

  • Emma L. Bradshaw, Baljinder K. Sahdra, Joseph Ciarrochi, Philip D. Parker, Tamás Martos, Richard M. Ryan. A configural approach to aspirations: The social breadth of aspiration profiles predicts well-being over and above the intrinsic and extrinsic aspirations that comprise the profiles.. Journal of Personality and Social Psychology, 2020; DOI: 10.1037/pspp0000374.
  • University of Rochester. “How to be happier in 2021: Toss out your usual list of New Year’s resolutions and do things that make the world a better place.” ScienceDaily. ScienceDaily, 21 December 2020.
  • University of East Anglia. “How hope can make you happier with your lot in life.” ScienceDaily. ScienceDaily, 16 December 2020.
  • Ajudar as Pessoas faz Bem para o seu Cérebro!www.DrRondo.com
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link