Alimentação

Açúcar Industrializado ou Stevia?

É só você abrir um jornal, um noticiário digital, ou ligar a sua TV para ver notícias noturnas que há uma grande probabilidade de você se deparar com um artigo abordando os perigos do açúcar.

Mas agora você vai ficar chocado com o que eu tenho para lhe dizer…

O açúcar não é uma coisa ruim!

Nós, humanos, evoluímos comendo coisas doces. A presença desse sabor nos alimentos que crescem na natureza mostra que são seguros para comer.

O grande problema é quando o açúcar é mudado de sua forma pura e processado em algo não natural.

E isso a indústria açucareira faz há mais de 50 anos, além de manipular a ciência para vender mais açúcar.

Na década de 60, a Sugar Research Foundation (SRF) financiou sua própria pesquisa secreta sobre o efeito do açúcar processado em ratos, e até mesmo antes que os resultados pudessem ser publicados, engavetaram o projeto.

Eles descobriram que os açúcares processados poderiam elevar o nível de gorduras do sangue (triglicerídeos) que estão ligados a doenças cardíacas. Além disso, ficou evidente que esse tipo de açúcar estava ligado ao câncer, em especial o de bexiga.

Mas recentemente isso veio à tona, pois os resultados desta pesquisa secreta foram encontrados por pesquisadores da Universidade da Califórnia em São Francisco.

E agora, novos estudos publicados recentemente no jornal BMJ Open Heart apontam o açúcar processado como uma ameaça maior do que o sal quando se trata de pressão arterial e doença cardíaca.

Também tem havido muitos estudos confirmando a relação entre câncer e açúcar processado.

Açúcar Industrializado: Como escapar do problema

Preventivamente, devemos evitar ao máximo esse açúcar industrializado se estamos querendo nos manter jovens, magros e sem doenças crônicas.

Mas o que você precisa saber é que, muitas vezes, ele ou está escondido nos alimentos, ou se apresenta numa forma que vai resultar nisso.

Aqui não me refiro ao açúcar como tão somente aquela colher de chá em seu café.

Falo de todos os alimentos e bebidas que facilmente se dividem em açúcar quando você os come.

Está escondido está no pão, macarrão, biscoito, grãos e na maioria dos alimentos processados, como ketchup, molhos para saladas e sopas enlatadas.

Você não foi designado para lidar com esse açúcar não natural.

E é por causa disso que vivemos essa pandemia moderna, na qual o seu corpo é muito estimulado a produzir insulina. Assim, nos tornamos resistentes à insulina e consequentemente vulneráveis a praticamente todas as doenças como obesidade, diabetes, doenças cardíacas, câncer, doença de Alzheimer… e a lista continua.

Portanto, você precisa reduzir a sobrecarga de açúcar, eliminando suas fontes diretas ou indiretas.

Procure consumir virtualmente zero deste agressor ou substitua o açúcar de mesa por uma alternativa saudável como a stevia.

Stevia: a melhor escolha como adoçante.

Trata-se de um produto natural que você pode adicionar à sua comida sem arriscar sua saúde. É entre 100 a 200 vezes mais doce do que o açúcar branco tradicional e não aumenta o seu nível de açúcar no sangue, tornando-se um substituto ideal para diabéticos e pessoas em dieta de emagrecimento.

Tem sido usada há séculos por sul-americanos nativos. Na verdade, os guarani originalmente o chamavam de Stevia Kaa, que significa erva doce.

Mas, muito cuidado.

Você conhece aquela historia do lobo com pele de cordeiro?

Pois saiba que muitas stevias do mercado na verdade só tem o “perfume” de steviosidio, e contém um ou mais aditivos que são potencialmente prejudiciais para sua saúde, como eritritol, maltodextrina ou lactose. A stevia transformada de hoje é misturada com cargas químicas como o milho transgênico Eritritol, fibra de inulina ou mesmo açúcar de cana.

Portanto, fique atento aos rótulos.

Só em 2008 a US Food and Drug Administration (FDA) aprovou o uso de compostos de stevia.

Benefícios da stevia para a saúde

  • Adoçante com ação zero-calórica indicado para diabéticos, pré-diabéticos e para quem deseja perder e manter o peso. Você pode desfrutar de “doces” sem carga de calorias e efeitos negativos do açúcar.
  • Regula sua glicemia, promovendo também melhora da sensibilidade à insulina.
  • Ação antioxidante, pela presença de ácido cafeico, flavonóides, kaempferol, quercetina, taninos e triterpenos.
  • Inibe o crescimento bacteriano à nível bucal evitando cáries e gengivites.
  • Reduz a pressão arterial elevada, por relaxar os vasos sanguíneos.

Embora a stevia seja considerada segura pelo FDA, pode causar alergias em raríssimos casos. As queixas seriam inchaço, cólicas, tonturas e dores de cabeça depois de usá-la.

Nesses casos ela deve ser descontinuada.

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER
close-link