A Pandemia Também Fez Você Repensar a Vida?

É claro que a pandemia de Covid-19 está sendo um grande desafio para toda a humanidade.

Ela foi um momento de tristeza para muitos que perderam seus entes queridos e também motivo de aumento na ansiedade e estresse.

E talvez por toda a comoção gerada, parece que esse momento fez muita gente repensar como levava a vida e como quer levar a partir de agora.

Não estou falando de algo filosófico (embora, pensando bem, não deixe de ser) mas de uma pesquisa recente sobre comportamentos.

Os pesquisadores da Universidade de Bath, no Reino Unido, e da Universidade de Lisboa, em Portugal, fizeram um questionário on-line com mais de 380 pessoas em 2020, durante o isolamento social.

Eles queriam saber como essas famílias, que em geral tinham crianças em casa, sentiam-se com relação ao período de lockdown.

E embora os óbvios problemas e tristezas da Covid-19, parte desses voluntários expressou que ao menos houve algo de bom.

Eles repensaram seus valores, como…

– 48% dos entrevistados afirmaram que o isolamento aumentou os laços familiares. Eles sentiram-se mais conectados à família, principalmente às crianças.  De uma hora pra outra, se viram mais presentes na vida dos filhos, e gostaram muito da experiência;

– 22% disseram que o tempo de isolamento fez com que passassem a “reconsiderar o que é realmente importante” e serem gratos pelas coisas pequenas da vida. Também viram que reduzir o ritmo que adotavam reduziu o estresse do dia a dia e promoveu um estilo de vida mais saudável;

– 16% descreveram algum tipo de descoberta espiritual, pensando mais em questões existências e na relação com as outras pessoas. E descreveram como passaram a se preocupar mais com o meio ambiente;

– 11% passaram a repensar inclusive a profissão, pois viram que gostariam de ter alguma atividade que permitisse conciliar a vida profissional com a familiar, tendo mais tempo para as crianças.

Aí eu te pergunto… E você? Também está em algum desses grupos?

Mudanças de perspectiva e saúde

Veja bem, quando falamos nessas mudanças mencionadas acima, pode não parecer, mas estamos falando de saúde!

Essas pessoas conseguiram tirar de uma situação extremamente ruim algumas lições boas. Talvez sem nem perceber, vão na mesma direção do que a ciência tem mostrado nas relações entre emoções, bem estar e uma vida mais saudável.

Por exemplo…

1) Oxitocina

O maior convívio entre as pessoas amadas, bastante citado acima, libera a oxitocina, o hormônio da felicidade.

Ele é capaz de reduzir não só o mau humor e o estresse, mas melhora dores causadas por diversas condições e até a regeneração muscular!

2) Redução de estresse

Muitos foram obrigados a desacelerar durante o isolamento, e agora não querem mais voltar à condição estressante de antes.

E estão certos, já que sabemos o quanto o estresse é prejudicial à saúde.

Quando você está sempre estressado, libera o hormônio cortisol em excesso, aumentando seus riscos de ansiedade, ganho de peso, distúrbios do sono e alterações na glicemia.

3) Estilo de vida mais saudável

Muitos comentaram como agora se preocupam mais em ter uma rotina saudável, com boa alimentação e exercícios.

Não é nem preciso explicar como essa é uma boa atitude, certo?

4) Gratidão

Sim, a gratidão é mais do que uma palavra. Ela realmente faz bem à saúde.

Quando passaram a agradecer os pequenos momentos, as pessoas que responderam à pesquisa certamente tiveram melhoras de pressão, saúde cardíaca, sono e relacionamentos interpessoais.

É o que mostram vários estudos sobre a gratidão…

Bom, então, se você é um dos que repensou sua vida nesse período complicado, espero que tenha repensado para melhor.

O ideal é que não precisássemos de algo como a pandemia para decidir viver bem.

Portanto, a dica é que você também pense no que lhe faz mais feliz e vá em busca disso.

Como médico, eu devo te alertar que esse também é um caminho para a conquista de uma Supersaúde!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link