A Lição a Aprender com o Cientista que Parou de Tomar Banho

O que será que aconteceria se você simplesmente parasse de tomar banho agora?

Será que se sentiria mal? Ficaria com um odor corporal insuportável para si mesmo e para os outros?

Todas as respostas a essas perguntas foram dadas por um jovem professor da Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

Agora, não se assuste… O Dr. James Hamblin não toma banho há 5 anos!

E, veja, ele está perfeitamente bem e diz que ninguém se sente incomodado pela sua falta de banhos.

Como o Dr. Hamblin já contou em inúmeras entrevistas, tudo começou pelo interesse científico de saber o que aconteceria se ele parasse de tomar banho.

É claro que ele tinha alguma ideia teórica do que poderia acontecer – e porque não é necessário tomar tanto banho, como fazemos – mas queria literalmente testar na pele.

Segundo o médico, no início ele chegou a sentir a necessidade de tomar banho, pois sentia a pele oleosa demais e um cheiro desagradável no corpo.

Mas, aos poucos, essa sensação foi passando. E não foi só porque se acostumou…

Ele sempre perguntou para as pessoas ao seu redor se sentiam algum odor, e elas também foram notando que cada vez mais a situação se normalizava.

Depois de 5 anos, o pesquisador comenta que não tem mal cheiro. É certo que existe um odor corporal, mas ele não é incômodo. Como isso é possível?

Equilíbrio ecológico

A resposta não é complicada. Temos bilhões de micro-organismos no nosso corpo, tanto do lado de dentro, como no caso dos intestinos, quanto no lado de fora, na pele.

Em condições normais, as bactérias boas e ruins estão em equilíbrio na nossa epiderme.

Mas quando tomamos banho com frequência e com muito sabão, ou quando usamos desodorantes, quebramos esse equilíbrio.

Eliminamos os micro-organismos momentaneamente, mas eles voltam a surgir, e com a predominância dos que causam os processos que levam ao mal cheiro!

O que o Dr. Hamblin testou ao longo desses anos foi justamente evitar essa interferência e deixar que a ecologia da pele se equilibrasse naturalmente.

Então, quanto mais o tempo passava, mais esse equilíbrio deixou o corpo com um cheiro natural, eliminando os maus odores e controlando a oleosidade.

O Dr. Hamblin comenta que hoje pode até tomar um ou outro banho rápido às vezes, em geral quando o corpo está realmente sujo, mas sem usar nenhum tipo de sabonete, xampu ou desodorante.

Devo parar de tomar banho também?

Bom, agora você deve estar se perguntando se deve parar de tomar banho.

Calma, eu sei que isso seria uma mudança muito radical, afinal, existem fatores culturais envolvidos nessa questão.

O ponto é que a história desse pesquisador, que deixou de tomar banho e está bem, traz algumas lições importantes para a nossa saúde.

Como já comentei por aqui, o banho diário é uma invenção moderna.

Há cerca de 100 anos atrás não se existia essa possibilidade, e com o tempo foi se construindo o hábito – e uma indústria milionária de produtos cosméticos e perfumes.

O que precisamos aprender é que devemos ficar de olho nesse equilíbrio microbiano da nossa pele.

Não estou dizendo que devemos parar de tomar banho completamente, mas pelo menos tentar minimizar o problema.

O importante eresolvermos naturalmente as questões corporais, sem o uso de químicos perigosos. Algumas dicas são:

1 – Desodorante cristal

Desodorante mineral natural, que evita que as bactérias causadoras de mal cheiro proliferem nas axilas, mas sem evitar o suor ou desequilibrar o ecossistema da pele.

2 – Alternativas ao xampu

O mesmo ocorre com o seu couro cabeludo. Use opções menos agressivas, para deixar que a oleosidade natural dos cabelos faça seu trabalho.

Para limpar e condicionar os cabelos, o vinagre de maçã e o óleo de coco são as melhores opções naturais. Saiba mais aqui.

3 – Evite sabonetes antibacterianos

Se você não está preparado para largar os sabonetes, pelo menos evite os antibacterianos.

Eles são péssimos para a pele, pois destruir todas as bactérias não é uma boa ideia.

Você até elimina as que causam mal cheiro, mas manda embora junto bactérias boas que protegem a pele.

Então, opte pelos sabões comuns.

4 – Lavar as mãos

Elas são um caso à parte. Principalmente nesses tempos de pandemia, não deixe de lavar com água e sabão.

O próprio Dr. Hamblin, que não toma banho, diz que isso não se aplica às mãos, pois este realmente é um hábito que evita a propagação de doenças, ok?

Supersaúde!

Referências bibliográficas:

  • Medicine Net December 29, 2015
  • Gizmodo February 12, 2015
  • live August 1, 2015
  • Journal Cosmetic Science 2003 Mar-Apr;54(2):175-92
  • E-book: Vinagre de maçã: o liquido dourado
  • BBC New Brasil, 16 dez. 2020.
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link