Você sabe reconhecer a importância da flora intestinal?

Quando falamos em preservar a natureza, na maioria das vezes estamos nos referindo a um equilíbrio ecológico ou ao ecossistema destinado a manter um meio ambiente favorável para a vida. Nosso objetivo é sempre o de criar uma linha de defesa e um equilíbrio entre os benefícios da natureza e a poluição.Mas, quando o assunto é o nosso organismo, se pararmos pra pensar o ecossistema da natureza e o ecossistema do nosso sistema intestinal são perfeitamente idênticos. Observe: tanto a flora microbiana que encontramos nos solos, quanto a flora microbiana intestinal, são consideradas como verdadeiras barreiras de defesa indispensáveis para vários processos bioquímicos.

mulher saudável se alimentando e sorrindo

Sistema Imunitário Intestinal: sua primeira defesa contra doenças

A sabedoria popular já dizia: é melhor prevenir do que remediar. Isso é algo com o que eu concordo, mas muita gente parece ter esquecido essa velha e corretíssima frase! E ela tem tudo a ver com o tema de hoje, o sistema imunitário intestinal…Há um fator importante que é necessário explicar e que as pessoas desconhecem quase completamente: o sistema imunitário intestinal. Na verdade, todos sabemos que a medula óssea é uma fonte de produção de células imunitárias. Por outro lado, ignora-se ainda muita coisa sobre esse outro sistema imunitário, o intestinal, que é muito ativo.

A carne não é a vilã!

O artigo “Substância presente na carne eleva risco de doença”, publicado no portal Estadão.com.br, no dia 8 de abril deste ano, baseado no estudo “Intestinal microbiota metabolism of l-carnitine, a nutrient in red meat, promotes atherosclerosis”, traz a informação de que ingestão de carne é a responsável pelo aumento do risco cardiovascular pela ação da enzima TMAO. Porém, quero esclarecer aqui que as conclusões do estudo não foram totalmente consideradas. Antes de qualquer coisa, é importante entender o que realmente causa essa elevação enzimática.Vejamos. O consumo em excesso de carnitina – aminoácido essencial para metabolização das gorduras pela mitocôndria -, lecitina e colina – uma gordura comum da alimentação -, nutrientes encontrados comumente em produtos de origem animal tais como ovos, carnes, laticínios, peixes, frutos do mar e alimentos assados industrializados, bem como os multivitamínicos para crianças, pode causar um desequilíbrio na microflora intestinal devido à formação de bioprodutos, como a enzima TMAO, causadores de aterosclerose, tendo então um impacto direto e negativo no risco de doenças cardiovasculares. Portanto, não é a carne em si que gera o problema.

Leve a saúde junto com você na viagem

É quando se relaxa que as doenças se instalam, o que pode tornar as férias um período de risco para quem não se prevenir reforçando a imunidade. Daí, a importância de fortalecer a saúde antes mesmo de fazer as malas. Para isso, conte com produtos naturais como o Astragalus e o Cats Claw (estimulam o sistema imunológico), Echinácea (combate vírus e é muito usada contra gripes e resfriados), probióticos (como os lactobacilos, que recompõem a flora intestinal e combatem infecções), NAC (facilita a eliminação das secreções respiratórias e fortalece as defesas do organismo, sobretudo em idosos) e vitaminas A, C e E (combatem infecções).Para diminuir as chances de ter a “diarréia do viajante”, prefira água mineral engarrafada e alimentos frescos. Lembre que ela e as doenças infecciosas são as que mais atacam nas viagens.






















                           Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link