Estética

6 Dicas que Ninguém te Conta para Recuperar a Suavidade da Pele

Estas sugestões têm grande efeito na sua pele, ajudando a recuperar a suavidade e o brilho dos seus tempos de juventude.

Entendemos isso graças ao avanço científico que atinge sua pele no nível do DNA, promovendo reparação celular…

Tudo começa com seus telômeros, pois é este o fator determinante para manter sua pele a melhor possível, mesmo com o envelhecimento. Você que me acompanha já sabe que os telômeros são as extremidades de cada fio do seu DNA.

E quando os telômeros encurtam, as células da pele envelhecem…

Mas há uma solução que você não encontra em qualquer revista de beleza, e não se trata de injeções caras. O segredo é simplesmente impedir que os seus telômeros encurtem. Ou, melhor ainda, você pode até alonga-los.

Na verdade, suas células têm a capacidade de produzir uma enzima que aumenta os telômeros… trata-se da telomerase.

Ela reconstrói o comprimento dos seus telômeros.

Como aumentar a telomerase naturalmente

1. Astrágalos

Considerava-se que essa raiz tinha uma eficiência pequena na geração de telomerase, porém um estudo inovador mostrou que trata-se de um forte ativador de telomerase.

Um grupo de camundongos geriátricos foi alimentado com extrato de astrágalo, e um segundo grupo, de controle, tomou um placebo. Após três meses, avaliou-se o comprimento dos telômeros de cada grupo. Os ratos que receberam o extrato do astrágalo tinham uma porcentagem menor de telômeros muito curtos.

Em outras palavras, os telômeros do grupo astrágalo não estavam envelhecendo! Segundo a literatura, suplementar com 500 mg três vezes ao dia apresenta bons resultados.

2. Cats claw, ou unha de gato (Uncaria tomentosa)

Os índios nativos da Floresta Amazônica chamavam de “Erva Sagrada da Floresta Tropical”. É uma videira com espinhos semelhantes a garras, que pode subir até 30 metros.

Já era conhecida há séculos que a unha de gato tem efeitos poderosos anti-inflamatórios. É também um poderoso antioxidante que suporta a divisão celular normal e o reparo do DNA.

Isso faz com que a unha de gato seja uma potente erva renovadora da pele, podendo torna-la biologicamente mais jovem, preservando e reconstruindo seus telômeros.

Recentemente, pesquisadores suecos usaram o peróxido de hidrogênio para desencadear danos dos radicais livres em voluntários. Em seguida, alguns receberam extrato de unha de gato. Concluiu-se que eles sofreram menos danos no DNA… E também mostraram um nível muito mais alto de reparo do DNA!

Um estudo comparou 2 grupos de células de pele,1 tratado com um extrato de unha de gato e outro não. Então, eles expuseram esses 2 grupos à radiação UVB, o tipo que você recebe do sol. O grupo que usou a unha de gato diminuiu o encurtamento dos telômeros, o que aumentou sua longevidade 201% mais do que as células não tratadas.

Isso é bem esclarecedor, pois muita radiação UV do sol acelera o encurtamento dos telômeros…

Num outro estudo, analisou-se pessoas mais velhas com fotoenvelhecimento (exposição excessiva ao sol) e a perda de telômeros. Os pesquisadores descobriram que essa pele com manchas da idade, espessa e grossa por causa do excesso de sol apresentava telômeros mais curtos.

Mas na mesma pessoa, as células da pele protegidas do sol tinham telômeros mais longos. Portanto, a unha de gato pode reparar o dano do DNA nas células da pele causado pelo excesso de sol. Ela protege as células da morte, aumentando sua capacidade de reparar os danos causados ​​pelos raios UV ao DNA.

Telômeros mais longos causam menos danos ao DNA e se evidencia em uma pele úmida, bem hidratada, como se você estivesse em seus 20 anos.

Isso significa que linhas e rugas parecem mais suaves, e a pele parece mais firme e com aspecto radiante, pois a unha de gato restaura a luminosidade no nível celular.

A unha de gato pode ser usada na forma de chás ou como suplemento.

O uso que costuma ser relatado na literatura é de até 500 mg por dia.

3. Pegar sol

Se você não consegue obter 20 minutos de sol por dia, é importante uma suplementação de vitamina D diária. Os estudos recomendam cerca de 2.000 UI / dia de vitamina D3. E da próxima vez que fizer um exame de sangue, peça ao médico para testar seus níveis de vitamina D, para saber se você precisa de mais.

Em uma pesquisa sobre telomerase, as pessoas tomaram placebo ou 2.000 UI de vitamina D por dia. Após apenas quatro meses a atividade da telomerase no grupo da vitamina D subiu 19,2%. O grupo placebo não teve alterações.

4. Vitamina C

Ao aumentar o potencial antioxidante com essa vitamina você estimula a telomerase. Isso pode retardar o encurtamento dos telômeros em até 62%.

Para proteger os telômeros, a literatura recomenda tomar de 5.000 a 8.000 mg em doses divididas diariamente.

5. Consuma mais gorduras

Os ácidos graxos ômega-3 ativam a telomerase. Um estudo no Journal of American Medical Association descobriu que pacientes com os níveis mais baixos de gorduras ômega-3 tiveram o encurtamento mais rápido dos telômeros.

Aqueles com os níveis mais altos tiveram o menor encurtamento.

Como o seu corpo não produz ômega-3, você precisa conseguir isso através da comida. Algumas das melhores fontes de alimento são peixes selvagens, de água fria, como cavala fresca, salmão rosa e pargo.

Como é difícil atingir níveis adequados apenas com a alimentação, a literatura médica sugere a suplementação com cerca de 3 g de ômega-3 por dia

A melhor forma de ômega 3 é o krill oil, que não corre risco de poluição como o óleo de peixe normal.

6. Resveratrol

Este composto do vinho tinto ativa a telomerase. Além disso, ele “liga” genes que promovem a longevidade e “desliga” genes que promovem a doença.

O vinho tinto é uma boa fonte de resveratrol, mas você não precisa beber galões de vinho para obter os benefícios do telômero. A maioria dos estudos fala sobre suplementação entre 50 e 200 mg por dia com o mesmo resultado: ativação da telomerase.

Este assunto é bem recente e alguns suplementos citados ainda não são reconhecidos no Brasil. Portanto, converse sempre com seu médico antes de qualquer decisão!

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *