6 Dicas Naturais para Fluidificar seu Sangue

Quando você tem problemas de viscosidade do sangue, precisa ficar atento. É algo silencioso, mas que pode colocá-lo em risco cardíaco. Além disso, permite que os glóbulos vermelhos se unam para criar coágulos perigosos e bloqueios.

Nesta condição, é frequente a pessoa apresentar elevação da pressão arterial, pois o coração tem um trabalho extra para que o sangue circule por todo o corpo.

Na maioria dos casos, para mantê-lo sob controle, se usa vasodilatadores, nitratos que podem trazer benefícios, mas junto algumas condições desfavoráveis.

Mas há uma boa notícia, eficaz e natural, que gera o mesmo resultado – sem os efeitos colaterais!

Trata-se do óxido nítrico (NO).

É um gás produzido naturalmente pelo seu corpo, e o segredo é estimular o organismo para que ele produza mais.

Em condições normais, suas artérias flexíveis produzem o óxido nítrico através das células do endotélio vascular.

Com isso, promovem a vasodilatação natural, gerando relaxamento das artérias e ampliando o diâmetro dos vasos sanguíneos, permitindo melhor oxigenação de tecidos e órgãos. Além disso, auxilia-se na remoção de resíduos e dióxido de carbono.

O NO também ajuda a diluir o sangue e diminuir a viscosidade. Isso diminui a agregação plaquetária, condição que inibe o desenvolvimento de coágulos sanguíneos que podem causar ataque cardíaco ou derrame.

Portanto, a produção adequada de óxido nítrico é o primeiro passo de uma reação em cadeia que promove a função cardiovascular saudável, enquanto o óxido nítrico insuficiente desencadeia uma cascata de destruição que resulta em doença cardíaca.

Quando se usa medicamentos com nitratos para pressão arterial, danifica-se esses endotélios, comprometendo com o passar do tempo a sua capacidade de manter a pressão arterial normal.     

Como aumentar naturalmente os níveis de oxido nítrico

1. L-arginina.

Esse gás (NO) é produzido continuamente a partir do aminoácido L-arginina dentro de suas células. Apesar de ser um radical livre, tem ação sinalizadora biológica que suporta a função endotelial normal e protege suas mitocôndrias.

Em cada década do envelhecimento perde-se cerca de 10% de sua capacidade de produzir óxido nítrico. Por isso é importante estimular a produção à medida em que você envelhece.

Consuma alimentos como laticínios orgânicos, amendoim, nozes e até chocolate, que são todas boas fontes. A literatura recomenda 500 mg uma vez por dia. Mas você deve sempre verificar com seu profissional de saúde ao iniciar um regime de L-arginina.

2. Probióticos

Adicione probióticos na sua rotina para potencializar a resposta, pois a boa ecologia intestinal, rica em bactérias boas, ajuda a neutralizar nitrosaminas, enquanto a presença de bactérias ruins aumenta a produção deste elemento desfavorável.

Existe uma relação íntima entre nitratos da alimentação e várias bactérias intestinais. Há uma sequência natural dos alimentos se transformarem em nitrato / nitrito / óxido nítrico, que é influenciada positivamente pelas bactérias intestinais, no caso, as bactérias probióticas, como Lactobacillus.

2. Beterraba

O suco de beterraba, por ter alta concentração de óxido nítrico, pode ajudar a desenvolver e melhorar a circulação, pois reduz a pressão sanguínea.

Além disso, tem influência positiva no exercício, pois os atletas que tomam suco de beterraba antes do treino apresentam aumento do fluxo sanguíneo e melhor desempenho físico.

Linda Peterson, coautora do estudo realizado na Universidade de Exeter, no Reino Unido, explicou ao Runner’s World como funciona:

“A beterraba é uma ótima fonte de nitrato inorgânico. Parte do nitrato acaba na sua saliva, quando bactérias amigáveis ​​o convertem em nitrito. Em outras partes do corpo, o nitrito é convertido em óxido nítrico, o que… bem… atuando em um monte de coisas relacionadas ao fluxo sanguíneo, contração muscular, neurotransmissão e assim por diante”.         

3. Cacau

Cacau é rico em antioxidantes, e pela presença de flavonoides ativa as células endoteliais das artérias para produzir NO. Com isso reduz o risco de: doença cardíaca, hipertensão arterial e acidente vascular cerebral.

4. Vitaminas C e E

Estas vitaminas ajudam a preservar seus níveis de NO. Para isso, consuma frutas cítricas, brócolis, mirtilos, sementes de girassol, amêndoas, tomates e vegetais de folhas verdes. Além disso, uma suplementação pode ser indicada.

Os estudos indicam cerca de 500 mg duas vezes ao dia de vitamina C e 400 UI de vitamina E uma vez ao dia. Mas converse com o seu médico a respeito disso.

5. Exercício de alta intensidade

Promove o aumento dos níveis de NO, através da maior síntese da enzima NO sintase. O indicado, no caso, é treinamento de alta intensidade e curta duração, como no programa supra aeróbico descrito no meu livro 20 Minutos e Emagreça.

6. Vitamina D

Exposição adequada ao sol, pois ao tocar a sua pele, o UVA da luz solar libera o óxido nítrico na corrente sanguínea.         

Com essas dicas você agrega todos os benefícios que o óxido nítrico pode lhe trazer e aumenta a sua saúde cardiovascular, sendo especialmente importante se você tiver dificuldades com a pressão alta.

Referências bibliográficas:

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link