Alimentação

26 Maçãs por Dia Mantêm Médicos à Distância

Você conhece bem aquela frase clássica que diz “uma maçã por dia mantém médicos à distância”. Só que atualmente, essa frase está completamente fora da realidade. Isso porque hoje temos que comer 26 maçãs para obter a mesma nutrição encontrada em apenas uma maçã de 100 anos atrás.

Maçãs à parte, o mundo em que vivemos é muito diferente do ambiente em que nossos ancestrais viviam.

Segundo o FDA, os níveis de nutrientes caíram 81% nos últimos 30 anos. Isso mostra como nossos solos estão espoliados e como os fertilizantes sintéticos comprometem o aporte nutricional.

Além disso, os alimentos são em grande parte transgênicos, aonde se usam agrotóxicos que causam comprometimento do aporte nutricional e antioxidante dos produtos.

Essa perda de qualidade do solo está roubando quase toda a nossa alimentação. Por exemplo, você precisa consumir 10 porções de vegetais hoje para igualar a nutrição de 1 porção de 50 anos atrás.

Comparando uma batata branca atual, ela tem 166 vezes menos nutrientes do que uma batata selvagem.

E sabe aquelas maçãs exuberantes que você encontra nos mercados hoje? Elas são 475 vezes menos nutritivas do que as dos nossos antepassados.

Isso acontece com todos os alimentos que você consome. É por isso que é aconselhável que você suplemente para que tenha ao menos uma nutrição básica, pois infelizmente a nossa dieta de hoje gera desnutrição subclínica.

Ou seja, a pessoa não tem doença instalada, mas não tem uma saúde adequada.

Nossos antepassados ​​primitivos não precisavam se preocupar se os alimentos que comiam continham a nutrição correta, pois certamente tudo estava disponível na natureza.

Inclusive a carne que está na maioria dos mercados não é nada parecida com a carne que eles caçavam.

Essa carne de hoje vem em parte de animais que foram alimentados com uma dieta de grãos e soja, engordados artificialmente com hormônios e mantidos vivos por antibióticos.

Com isso os animais perdem saúde, gerando uma carne que contém apenas uma pequena fração da nutrição do que é esperada.

Muito além das maçãs: nutrientes básicos para ter supersaúde

Vitamina D. Os estudos recentes mostram que para prevenir o câncer, diabetes e outras doenças crônicas do nosso mundo moderno, há necessidadede pelo menos 10 a 20 vezes mais vitamina D do que as insignificantes 400 UI recomendadas pela FDA. Ou seja, cerca de 8.000. IU / dia.

Vitamina K2.  É importante não só para a coagulação sanguínea, mas especialmente para a saúde do coração. Estudos mostraram que altos níveis de vitamina K2 diminuíram o risco de doença arterial coronariana em 57%.

A maior parte da vitamina K2 que nossos ancestrais primitivos consumiram vinham da carne, basicamente de miúdos. Porém, no mundo moderno, essa não é uma fonte comum de alimentos. A literatura sugere suplementar com 45 a 90 mcg por dia. A melhor forma de vitamina K2 são a menaquinone-4 e menaquinona-7.

Vitamina C. Existem mais de 18.000 estudos que mostram os benefícios que  altos níveis de vitamina C salvam a vida. As recomendações diárias de vitamina C são em torno de 1000 mg 2 vezes ao dia.

Vitamina B12. Normalmente se recomenda 2,5mcg por dia.Porém, há estudos que sugerem em torno de 100 mcg por dia. Evite tomá-la na forma de comprimido, pois nessa forma ela não é absolvida. A ideal é a sub-lingual.

Magnésio. Este é um mineral extremamente carente no solo por causa dos métodos modernos de agricultura, que praticamente eliminaram o magnésio da terra. Ele é um importante nutriente para um sistema imunológico saudável e previne a inflamação, a causa básica de todas as doenças crônicas.

Níveis adequados de magnésio reduzem o risco de morrer por qualquer causa.

Indivíduos comos níveis mais baixos de magnésio têm 10 vezes mais chances de morrer, segundo um estudo recente. A literatura recomenda entre 200 mg e 400 mg por dia. Dê preferência ao magnésio bisglicinato ou treonato. Quando usado com vitamina B6 promove aumento de absorção celular.

Mas atenção! Não tome nada por sua conta! Converse com o seu médico para saber as dosagens adequadas para você e tenha uma Supersaúde!

Referências bibliográficas:

 

< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *