2 Enganos Comuns Quando se quer fazer Ossos Fortes

Vejo com frequência, tanto na mídia como nos pacientes que me procuram, comentários sobre tratamentos contra a osteoporose.

Muitas vezes, eles acreditam que certas indicações são a melhor opção.

Mas, não é bem assim…

Veja os piores conselhos que alguém pode receber com relação a isso – principalmente se for mulher:

1. Soja

Vivemos em uma realidade aonde muitos ainda acreditam que comer “alimentos” falsos, como a soja e o tofu, pode trazer mais benefícios que a carne vermelha.

Na verdade, o marketing da indústria alimentar tenta mostrar isso o tempo todo, para que você acredite nesse “superalimento”.

Sim, eu estou me referindo à soja…

Recentemente um estudo publicado na Bone Reports tentou mostrar que a soja é importante como alimento para construir ossos fortes…

Mas veja a que ponto chegaram:

Durante 30 semanas, pesquisadores alimentaram ratos com farelo de soja ou fubá.

A conclusão final foi que os ratos alimentados com farelo de soja melhoraram sua resistência óssea em comparação com os ratos que consumiram fubá, o que em nada acrescenta, pois ambos os alimentos usados no estudo pouco acrescentam aos humanos.

Se o objetivo é uma comparação sadia, porque não foi feita com a carne vermelha, se alegam que a soja é superior?

Então eu vou lhe mostrar o porquê!

Um estudo publicado na The Journal of Nutrition, feito por pesquisadores da Yale University, comparou a biodisponibilidade do cálcio entre mulheres que comem soja com aquelas que comem carne.

Ficou claro que o grupo que consumia proteína da carne teve maior   biodisponibilidade do cálcio, quando comparado com o grupo que consumia a proteína da soja.    

Ou seja, também neste objetivo não existe um bom substituto para a gordura e proteína animal!

E a soja, para piorar, tem outras características que não podem ser ignoradas.

São os antinutrientes, como:

– Fitatos, que inibem absorção de minerais, como cálcio, magnésio, ferro e zinco.

– Aglutinina, que compromete a absorção intestinal, gerando o intestino poroso, que permite que as substâncias passem pelo revestimento do trato digestivo para o sangue. Além disso, causam disbiose intestinal.     

– Tem ação goitrogênica, inibindo as produções dos hormônios tireoidianos.

– Transgênica em sua imensa maioria. Com isso, o DNA dessa planta é modificado para ter resistência aos pesticidas, permitindo então o uso desses produtos em grande quantidade nas plantações. Chegam a ter altíssimas concentrações do herbicida glifosato, que excedem o aceitável dos limites seguros.    

A única condição em que a soja pode ser benéfica aos humanos é na forma de natto ou missô, quando sofrem fermentação por longos períodos.

2. Medicamentos “construtores de ossos”

Esses produtos, os bisfosfonatos (como por exemplo o Fosamax) são frequentemente utilizados, mas não atendem à sua necessidade.

Os seus ossos constantemente alternam condições de destruição e remodelação.

Os osteoclastos, células de degradação, destroem o osso antigo.

Os osteoblastos, células de regeneração, depositam novo osso em sua estrutura óssea.

Isso é um processo dinâmico, que quando em desequilíbrio gera a osteoporose. Ou seja, os osteoclastos estão removendo tecido ósseo demais ou seus osteoblastos não estão criando novas células com rapidez suficiente.

Consequentemente, os ossos ficam fracos e quebradiços.

Quando se usam esses medicamentos projetados para impedir a perda óssea, há inibição da produção de osteoclastos, e com isso eles não removem mais o osso.

Assim os ossos se tornam mais densos, mas essa densidade é composta de osso velho e cálcio velho.

E então, os osteoblastos (células de regeneração) não entram em atividade, e, portanto, não geram novo tecido ósseo.

O resultado é que seus ossos se tornam frágeis e mais propensos a fraturas, apesar de parecerem fortes na densitometria óssea.

Portanto, essa medicação faz exatamente ao contrário do que se propõe. Em vez de prevenir perda óssea, causam ossos quebradiços!

Segundo estudo publicado na Bone Report, mulheres que usaram esse tipo de medicação como suporte pós-fratura apresentaram cerca de 70% de recidiva da mesma fratura, de forma espontânea.  

Construa ossos fortes naturalmente

Para construir ossos fortes, você precisa enfocar corretamente na dieta e ter certos nutrientes em níveis ótimos:

Dieta

– Proteína: Aumente sua ingesta, pois são necessárias para que os osteoclastos e osteoblastos funcionem corretamente.

As melhores fontes são: carne vermelha e de órgãos de animais criados a pasto, peixes de águas profundas e ovos de galinhas que pastoreiam.

– Gorduras boas: Promovem aumento da absorção de cálcio a nível intestinal, além de reduzir a excreção urinária de cálcio.

As gorduras a que me refiro são: ômega-3 de origem marinho e gorduras saturadas como as de boi, porco, cordeiro e aves.

– Laticínios naturais: O ideal seria o consumo de leite cru de animais a pasto, porém, estes ainda não estão liberados à venda. Por outro lado, iogurte e queijos estão sim liberados.

Eles estão cheios de proteínas, gorduras, cálcio e vitamina D de que você precisa para construir ossos fortes.

Suplementos

– Magnésio: É fundamental para a saúde dos ossos, permitindo a correta absorção do cálcio.

O magnésio é responsável por mais de 300 reações bioquímicas no corpo, e quando não tem o suficiente, seu corpo para de funcionar de forma correta.

Infelizmente a nossa alimentação moderna é altamente deficiente desse mineral.      

– Boro: Esse mineral promove aumento da absorção de cálcio pelo corpo, garantindo ossos fortes.

Além disso, potencializa absorção do magnésio, o que é necessário para correta absorção do cálcio, e aumenta a atividade da vitamina D, sem o qual o cálcio não é depositado nos ossos.

– Vitamina K2: Esse elemento é que direciona e fixa o cálcio nos ossos, elevando a densidade óssea.

Sua deficiência causa dificuldade em reter minerais, e no caso induz a osteoporose. Quanto menor a ingestão de vitamina K2, maior é o risco de fraturas, especialmente de quadril.             

– Vitamina D: É o principal veículo de armazenamento de cálcio nos ossos. Sua deficiência pode levar a ossos finos e quebradiços, aumentando o risco de fratura em mais de 50%.

Então, se você quer ossos fortes, é hora de parar com os mesmos erros de sempre…

E começar a acertar! Supersaúde!

 Referências bibliográficas:

  • Bone Rep. 2018;8:244-254.
  • J Nutr. 2006;136(7):1890-1895.
  • Int J Mol Sci. 2018;19(2):554.
  • FASEB J. 1:394-7, 1987.
  • Open Orthop J. 2012;6:143-149.
  • Am J Clin Nutr. 1999;69(1):74-79.
  • Integr Med (Encinitas). 2015;14(1):34-39.
  • Ther Clin Risk Manag. 2008;4(4):827-836.
  • Stunning Corn Comparison: GMO versus NON GMO. March 15, 2013. Accessed September 10, 2018.
  • Será que Você está com Deficiência de Magnésio?www.DrRondo.com
< Artigo AnteriorPróximo Artigo >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




























               Clique aqui para saber mais detalhes >




 
close-link
close-link