Saúde

Viscosidade sanguínea: Silencioso, mas letal

Viscosidade sanguínea é a mensuração direta da resistência do fluxo de sangue. Isso afeta o organismo não somente quanto à dificuldade que o coração tem em trabalhar para circular o sangue, mas também pelo o nível de estresse, atrito, agressão e inflamação que o sangue causa às artérias.

Essa viscosidade, que diminui o fluxo sanguíneo, é o que causa a ateroesclerose e seus sintomas se tornam evidentes somente alguns anos depois. As pesquisas mostram que as agressões causadas nos vasos sanguíneos levam a formação de placas em consequência dessa alteração da viscosidade sanguínea. Quanto mais grosso o seu sangue, mais pressão é necessária para movê-lo pelo corpo, gerando mais trabalho para o coração. Essa viscosidade deixa o sangue abrasivo e lesivo para as células das paredes das artérias (endotélio).

Logo, havendo a agressão os lipídeos e outras células inflamatórias migram para o endotélio para reparar os danos, com isso a lesão aterosclerótica progride, as placas crescem e o risco de ruptura dessas placas aumenta também.

O aumento de viscosidade faz aumentar também o atrito, de forma que o sangue “se esfregue” contra as paredes dos vasos sanguíneos. Com isso, as artérias tendem a endurecer e ficar estreitas, resultando em mais fricção e diminuição do fluxo nas artérias e veias.

Diante disso, o sistema cardiovascular compromete o aporte de oxigênio e micronutrientes, o que só piora a adesividade do sangue e o endurecimento das artérias. Isso faz com que se tenha uma sobrecarga ao coração para bombear o sangue. E essa função se dá como consequência ao reparo e proteção contra as agressões ao endotélio o que gera a formação de placas nessas áreas.

Para aliviar essa tensão sanguínea o que eu recomendo a você, amigo leitor, é que doe sangue. Caso você tenha muita viscosidade no seu sangue, a doação proporcionará uma redução do problema, além de reduzir a sua ferritina que é altamente oxidativa. Sem falar no fato de que você estará ajudando não só o seu organismo, mas também a milhares de pessoas que necessitam dessa contribuição. Pense nisso!

Um fator importante que te servirá como auxílio é a suplementação nutricional.

Outra estratégia que ajuda a reduzir a viscosidade sanguínea é o ato de caminhar descalço na terra. Segundo essa teoria, quando você anda descalço na terra, na praia ou no gramado, você permite a transferência de elétrons livres da terra para o seu corpo através da sola dos pés. Isso controla a inflamação no seu corpo por aumentar o potencial zeta dos glóbulos vermelhos, que também reduzem a viscosidade sanguínea.

Mas antes de qualquer coisa, converse com o seu médico. Juntos vocês irão avaliar a melhor maneira de resolver esse problema.

Não deixe que essa inimiga também silenciosa acabe com a sua saúde!

[divider]

Referências bibliográficas:

  • The origins of atherosclerosis, by Kenneth R. Kensey MD
  • Blood Viscosity Parameters in Coronary Heart Disease: Effect of Fish Oil Supplementation”, Rillaerts, E., et al, ACTA Clinica Belgica, l989;44(l):l7-22
  • Fibrinogen, Viscosity and White Blood Cell Count Are Major Risk Factors for Ischemic Heart Disease: The Caerphilly and Spedwell Collaborative Heart Studies”, Yarnell, J.W.G., Circulation, March 1991;83:836-44.14213
  • Fibrinogen and Viscosity as Risk Factors For Subsequent Cardiovascular Events in Stroke Survivors”, Resch, Karl L., M.D., et al, Annals of Internal Medicine, September 1, 1992;117(5):371-375
  • Metabolic Effects of Fish Oil Supplementation in Patients With Impaired Glucose Tolerance”, Fasching, Peter, et al, Diabetes, May 1991;40:583-589
  • Complementary Approaches to Combating Atherosclerosis,” Johnson D and Eckerly JR, Journal of the American Academy of Physician Assistants, December, 1998;11(12);52-64.
  • Need For Treatment of Elevated Plasma Fibrinogen Levels in Cerebrovascular Disease”, Clark, Wayne M., M.D., et al, Heart Disease and Stroke
  • Exercise and the Heart: Good, Benign, or Evil”, Lavie, Carl J., M.D., et al, Postgraduate Medicine, February 1, 1992;91(2):130-148.
  • Clinical Nutrition: 4. Omega-3 Fatty Acids in Cardiovascular Care,” Holub BJ, CMAJ, March 5, 2002;166(5):608-615

 

Previous ArticleNext Article
Médico, Cirurgião Vascular especializado em medicina preventiva e alta performance. Possui vários artigos publicados em revistas médicas, além de 8 livros com temas relacionados à nutrição, medicina preventiva e esportiva. (CRM 47078)
Acabei de escrever uma nova Dica! Quer receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É grátis)!

QUERO RECEBER

Acabei de escrever uma nova Dica! Quer Receber?

Junte-se aos mais de 223 mil leitores inteligentes que recebem dicas exclusivas sobre Saúde, Alimentação e Bem-estar e conquiste uma super saúde (É gratis)!
QUERO RECEBER